Além do olhar visível

Imagem de capa: Klemzy, Shutterstock

A vida nos permite vários encontros, e alguns vão além de um simples olhar ou aperto de mãos, independente de haver interesses pessoais ou profissionais. São pessoas que podem estar ao nosso lado ou não, ou simplesmente as encontramos em um suposto acaso da vida por um curto espaço de tempo, e que por razões nem sempre lógicas, são lembradas até hoje por uma simples frase que nos disseram, que mudou a nossa visão sobre algo.

Há outras que gostaríamos que fossem eternas, pois delas provém mananciais de sabedorias. Outras, que estivessem sempre ao alcance do nosso toque, ou do nosso ouvido, por que parecem ser uma extensão de nós mesmos.

Elas nos aparecem como um filho, filha, mãe, pai, avós, irmãos, netos, amigos ou um amor. São as almas que se identificam porque sabem que se conhecem mesmo com os olhos dizendo conscientemente que não. Por vezes cada um segue seu caminho que nem sempre é na mesma direção, no qual nos perdemos de vista, mas não de alma.

Nestes desencontros, sentimos saudades e às vezes não conseguimos entender o porquê da separação física, mesmo quando a pessoa querida apenas mudou de casa ou cidade, dentro da nossa lógica materialista, uma vez que até sentimos a presença dela como se estivesse ao nosso lado. E está mesmo, pois os sentimentos são energias que não precisa de uma matéria para se manifestar. Faz-se presente na conexão da intenção.

A beleza imensurável e imortal da vida, sem dúvida, está além do nosso entendimento lógico, do palpável e visível pelo nosso olhar tão limitante na maioria das situações.

Diante de fatos com esta natureza tão sublime, entendemos a grandeza que é a vida, e nos rendemos em agradecimentos por entender que há o que vai além dos olhos, e aprendemos a reverenciar a grandeza do que não podemos ver, mas grandiosamente sentir.

Com este entendimento, chegamos à conclusão de que se não precisamos de um corpo físico para manifestar os nossos sentimentos a alguém, passamos a nos sentir menos dependentes da presença, enviando a qualquer momento, não importando qual a distância física ou até interdimensional, os nossos sentimentos a quem amamos, e tomamos cuidado para administrar os sentimentos negativos, uma vez que os mesmos chegarão a quem não sentimos grande afinidades de igual modo.

Com essa consciência, certamente iniciaremos um exercício de transmitir os bons sentimentos, até aos que não apreciamos.

Com a alma enfrentamos os limites do tempo linear, alcançando outra alma, lhe transmitindo mensagens, fazendo um abraço presente em segundos. E o melhor lugar para se estar no mundo é no calor da alma de alguém.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa / Gil Epifânia

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here