Ah, moça, quando seus pés saem do chão

Tanto se diz sobre a realidade e o sonho. Dizem que um é terra e que o outro é céu. Que sonho e realidade não caminham juntos. Mas, e se você levantar os pés, moça?

Quando seus pés saem do chão tocam outros mundos. O sair do chão guarda um deslumbre mágico, como se nós, seres de carne e osso, pudéssemos ser tocados pelo que é fantasticamente bom. Na ponta dos pés enxergamos mais longe e mergulhamos desnudos em nós.

Há quem diga que os sapatos de salto devem ser queimados. Que os saltos são a marca da opressão no que há de mais feminino em nós. Há quem nunca tenha notado que um sapato de salto é só mais uma tentativa humana de trazer para a realidade o êxtase do amor.

A posição dos pés, quando içados e suspensos, remete ao ápice do prazer feminino. Pés, pernas, quadris e mente, confluem para lembrar a epifania de uma noite de amor.

Apaguem os gemidos, as peripécias, as expressões típicas do prazer e restarão pés femininos, silenciosos e suspensos, como se estivessem andando não no chão, mas nas nuvens.

Que exista todo o resto, mas não dois pés içados pelo gozo sincero, então não haverá um gozo, mas apenas uma tentativa de tocar o mágico com os pés no chão.

Hoje é fácil encontrar um mundo de textos sobre o poder que alguns calçados detêm sobre o imaginário masculino. Sobre o que uma mulher, na ponta dos dedos ou do salto, desperta nos homens, mas bem pouco é falado sobre essa mulher que declama silenciosa que descobriu o caminho das pedras. Que sabe quantos passos deve dar para alcançar o prazer.

Ninguém conta que tirar os pés do chão, apesar de ter uma plateia notória de admiradores, não vem da vontade de agradar, mas sim da vontade de prolongar o mais profundo dos suspiros.

Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.

Atribuição da imagem: pexels.com – CC0 Public Domain

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é uma escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que as palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here