Quando você chora a perda de uma pessoa, você está triste por ela ou por você?

Imagem de capa: Alena Ozerova, Shutterstock

Há vezes em que, longe de pensar no sofrimento que a pessoa estava atravessando, concentramos a perda em nós mesmos e em como nos sentimos a respeito.

A perda de uma pessoa é algo muito habitual em nossa vida. De fato, se há algo seguro nesta vida é que algum dia morreremos.

Enquanto que em algumas culturas comemoram a morte, em outras ela é considerada uma liberação da pessoa, na nossa a morte representa uma desgraça.

A tristeza, a frustração, a raiva… todos esses e muitos mais sentimentos nos travam por dentro. Às vezes, se isso não acontece, inclusive nos sentimos mal.

Mas…. Será que quando choramos a perda de alguém estamos mais tristes por nós do que por essa pessoa? Hoje daremos uma resposta a esta pergunta.

A rejeição diante da perda

É curioso pensar em como rejeitamos algo que não tem solução possível.

Em muitas ocasiões falamos em aceitar as adversidades da vida, àquelas pessoas tóxicas que não mudarão e aqueles erros que cometemos constantemente.

Tentamos aceitar tudo isso. Mas, porque não aceitamos a morte?

Imaginemos que um ser querido faleceu devido a uma doença, câncer, por exemplo. Esta é uma doença muito dolorosa e destrutiva e, às vezes, não há escapatória possível.

Porém, ainda que seja natural sentir tristeza e melancolia, muitas pessoas aceitam este final como algo positivo.

Porém, fugir da morte não é uma opção, e também não é algo negativo. É algo que é melhor aceitar porque, no fim, é ela quem vai ganhar.

A vida não pede permissão

A vida não vai pedir permissão para levar quem você mais ama. Quando você menos esperar, arrebatará a essência da pessoa mais importante para você.

As consequências disso podem ser devastadoras se você não aprendeu a aceitar isso como algo natural. Se você se refugia em sua dor, a alimenta e começa a acreditar que não poderá seguir adiante.

A vida não é responsável por como você se sente, o quão mal tudo está desde que aquela pessoa o deixou. É apenas sua a responsabilidade de aceitar as coisas assim como elas são.

Fale da morte sem rodeios, deixe de considerá-la um tabu, evite fingir tristeza porque, do contrário, você se sentirá mal…

Pode ser que um ser querido morra e você fique feliz que o grande mal-estar que o assolava tenha acabado. Talvez não chore tanto e nem dramatize sua tristeza porque sabe aceitar a morte.

É importante não se deixar levar pelo que a sociedade nos impõe. Crenças absurdas que, em ocasiões, nos causam desgostos e nos convidam a sofrer gratuitamente.

A não aceitação da morte, a possessão no relacionamento ou o erro como sinônimo de fracasso são algumas das coisas que temos implantadas como certas. Considerá-las de outra maneira nos faz sentir, às vezes, pessoas ruins.

Porém, a morte é algo natural e, por onde, não deveríamos nos rebelar diante do que um dia acontecerá a todos nós.

Fonte indicada: Melhor com Saúde

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos

Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: “A Soma de todos Afetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here