O amor acontece quando a gente tira os óculos cor de rosa

Imagem de capa: goodluz/shutterstock

Em todo tipo de relacionamento entramos sempre usando óculos, mesmo quem não é míope. Esses óculos são o que chamo de óculos cor de rosa, feito com lentes poderosas que nos fazem enxergar um desenho que criamos internamente e não a realidade.

No início somos todos lindos e maravilhosos, sem defeito algum. O verdadeiro paraíso. Mas depois de um tempo, principalmente depois de uma certa convivência começa a ficar claro alguns comportamentos nem tão bonitos, coisas que nos irritam. E as tais projeções.

Não existe um tempo certo para enxergar a real, porque tem gente que tem mais dificuldades de tirar os óculos cor de rosa. (Quem tem Netuno na casa 7 então nem se fala). Tem pessoas que sambam na nossa cara e a gente está lá, defendendo, não querendo ver a realidade. Agarrados que estamos à nossos óculos.

É preciso querer ver, é preciso antes de tudo uma conexão com nosso sentir. Porque essa é a melhor maneira de lidarmos com nossos relacionamentos: não é uma questão de entender o outro, mas de senti-lo. O nosso maior erro é levar as pessoas através de uma coerência mental. É o nosso coração que vai nos mostrar a realidade, sem florear, sem bobear. E ele também vai nos indicar o que fazer a seguir.

Não há necessidade de julgamentos ou condenações. Ele dita: permanece ou vai embora. Escancara ou fecha as portas. Mas acima de tudo, não podemos responsabilizar o outro, afinal os óculos eram nossos e vai saber se ele também não usou o dele com a gente. Cada um com sua parcela de responsabilidade.

Não existe o certo, existe o que seu coração te pede. Constrói, tijolo por tijolo daquele amor que sabe ser verdadeiro dentro do peito. Vai embora, se afasta, fecha a porta, corta o que nunca foi e nem vai ser. Ou apenas se afasta, convive menos, distância saudável faz bem para os dois lados.

E nem adianta tentar quebrar os óculos cor de rosa, porque eles ainda serão bem úteis. Mas vale lembrar de limpar as lentes do coração através da meditação.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Meire Oliveira
Meire Oliveira é Escritora, Poeta e Coach de transformação. Amante das estrelas e das estradas. Autora dos livros Pintando Borboletas e Vai Com Fé que Flui. Conjuga o verbo escrever com vários outros juntos: ama, sente, vê. Por isso nasce e renasce em palavras que palpitam nela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here