Como a empatia de quem sofre com Depressão pode ajudar na saúde de todos.

Imagem de capa: Kosobu, Shutterstock

Circulam pela internet diversos materiais mostrando como as pessoas deprimidas, ou com outros transtornos psicológicos, são mal compreendidas. Isto é fato. Muita gente, inclusive algumas deprimidas, sabem pouco ou quase nada sobre saúde mental.

Daí fiquei pensando. Mais importante tornar este conhecimento acessível do que condenar quem não sabe!

Então, resolvi falar sobre coisas que escutamos sobre saúde mental e o que podemos fazer diante dessas afirmações. Para que todos possamos nos compreender e, consequentemente, sermos melhor amparados. Confesso que não é fácil ter um transtorno psicológico e ainda conseguir reagir a algumas palavras de forma assertiva. O fato é que nem todo mundo que diz essas coisas deseja o nosso fim. Pessoas que nos amam podem ter concepções distorcidas sobre saúde mental, como nós mesmo temos de diversos assuntos. E ao terem concepções distorcidas, podem falar coisas como:

“Você está se fazendo de vítima!”

A resposta é talvez. Mas isso não tem nada a ver com depressão. Eu posso “estar me fazendo de vítima”, posso também “estar me fazendo de vitorioso”, e independente de qual papel cultural eu estiver usando, ter depressão. As impressões pessoais de alguém não são diagnósticos profissionais. Dizer se o que tenho é uma doença ou não, requer conhecimento científico, técnico, capacitado.

Explique a esta pessoa que depressão é uma doença, não um defeito moral. É possível fazer críticas ao comportamento de alguém sem colocar em dúvida sua saúde. Não consegui agradar suas expectativas? Normal. Acontece nas melhores relações interpessoais. Porém, isso não lhe dá direito de dizer que meu colesterol não está alto, que não gripei, ou que não tenho depressão.

Podemos conversar sobre como uma pessoa enfrenta seus desafios, sem precisar pôr em discussão sua condição clinica.

“Faça novos amigos. Arrume uma namorada. Seu namoro tá com problema? Você precisa sair mais. “

Na tentativa de te ver melhor logo, surgirão fórmulas de sucesso. Compreensível que assim façam porque costumam associar depressão à tristeza. Por isso, elas dirão de modo simplificado coisas que você deveria fazer. Você pode explicar em situações assim que seres humanos em diversas classes sociais, inúmeros contextos, ficam doentes. Espirram, quebram dedos, e podem possuir algum transtorno psicológico.

Pense em pessoas bem sucedidas ,para quem te diz assim, que tiveram saúde mental debilitada. Assim quem lhe diz isso vai poder entender melhor que os vitoriosos também podem adoecer mentalmente.

“Você está a tanto tempo assim? Por que não melhora logo?”

Cada organismo reage a tratamentos de diferentes formas. Há pessoas que conseguem alta em meses, outras demoram anos. Existem as que adoecem, ficam bem, depois voltam a adoecer. Isto ocorre em qualquer doença. Inclusive nas debilitações psicológicas. Busque com profissionais que te acompanham, materiais que expliquem sobre o tempo como funciona seu tratamento.

“Deus vai te ajudar. Isso é falta de Deus. Você está rezando?”

Principalmente se você não for uma pessoa religiosa, frases do tipo podem ser difíceis de elucidar. Caso não seja algo que atrapalhe no seu tratamento, um caminho tranquilo passa a ser entender que para alguns a religião é uma forma de comunicar preocupação. Mas se, mesmo que não te atrapalhe, você queira explicar, é possível encontrar diversos líderes religiosos que já discursam com melhor embasamento técnico sobre saúde mental.

O personagem bíblico Elias após ter vencido uma batalha contra profetas de outro povo, apresentou sintomas de depressão. Embora na Bíblia não cite exatamente assim, ela faz um relato de sintomas que hoje seriam diagnosticados dessa maneira.

“Pense positivo! Seja mais otimista!”

Um dia, eu mesmo, pensei isso sobre minha condição psicológica. Que era uma questão de otimismo. Eu me forcei a pensar que já estava devidamente curado e pronto. Confesso que algumas vezes pareceu funcionar, mas logo descobri um ponto chave. Pessoas otimistas também adoecem.

Aliás, eu sou bastante otimista. Mas é importante ser um otimista ativo. Alguém que acredita que as coisas podem melhorar, mas sabe que apenas acreditar não vai solucionar tudo. Então, quando você ouvir isso, que tal concordar? Sim! Acrescentando que vai pensar positivo, mas assim como apenas pensar em ter o quarto limpo não vai tirar a sujeira das coisas, não deve adiantar muito pensar positivo sobre saúde mental quando precisamos de ajuda profissional.

Saúde não é só questão de doente.

Cuidar das questões psicológicas, dos sentimentos, das emoções, melhora a vida de qualquer pessoa. Não só das deprimidas. Se conseguirmos explicar para mais pessoas sobre como é possuir um transtorno e elas entenderem, teremos mais facilidade para compreensão e algo ainda a mais do que isso. Ao entenderem melhor nossa condição, entenderão melhor sobre si mesmas e poderão buscar apoio.

E não esqueça de buscar com profissionais da área formas de comunicar as pessoas que não compreendem questões sobre psicologia. Há diversas formas possíveis de explicar e cada um consegue entender de uma determinada forma.

Quem sabe aquela pessoa que achou que eu estava me fazendo de vítima, procure ajuda de um psicólogo para conseguir ir melhor nos estudos, melhorar com os amigos, fazer exercícios, aprender uma outra língua?

A psicologia é uma ciência e quando bem usada, assim como a ciência física nos trouxe tantos avanços tecnológicos, pode facilitar diversos avanços pessoais.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Alan Lima
"Escrevo porque fui alfabetizado um dia. Nada é meu, tudo é aprendido. Sou um autor de textos de todo mundo. O meu texto é pra ser isso, é pra ser teu."Um dos editores do Conti Outra e integrante do fan club de gifs de cachorros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here