Me perguntaram: O que é o amor?

Imagem de capa: morrowlight, Shutterstock

Já me perguntaram inúmeras vezes como eu defino o amor, tarefa difícil, não? Já tentei fazer isso, mas nunca consegui colocar em palavras certas um sentimento tão sublime. Como descrever algo que não tem forma, cor, regra ou limite? Como explicar algo que não tem medida ou padrão? O amor pode se apresentar de formas tão diferentes que me arrisco dizer que ele é mutante. Existe amor pelo irmão, pela amiga, por pai e mãe, pelos filhos, pela profissão, bichinhos de estimação e até por objetos. Cada um deles tem sua manifestação, sua maneira de sentir e expor. Cada um com sua particularidade. Não existe jeito certo ou errado de amar. Se é amor, tá certo, sempre!

Para descrever o amor é necessário senti-lo e foi o que fiz, amei e coloquei em palavras o que vivi, mas já adianto, foi uma experiência emocionante. O amor faz a diferença, é a resposta para todas as perguntas da existência humana. É aquele farol verde quando você está atrasada para a reunião, sabe? É tudo que eu procurei na vida, é aquele sentimento que a gente sonha e acha que nunca vai encontrar, como aquela nota de 50 reais que você acha no casaco do inverno passado. É a calmaria do espírito, a certeza do cuidado devido. Ele fez comigo o mesmo que o refrão da sua música preferida faz com você, entende?

Ele surge no tempo certo, na hora exata, no instante preciso, no momento em que o coração está pronto e preparado para sua morada, como quando você acerta o ponto do brigadeiro. Ele afasta os fantasmas do passado que assustavam e descortina o futuro que aguarda, como quando você abre a janela de manhã e vê o sol brilhando no céu, mesmo que a temperatura no relógio seja negativa.

Ele desperta a risada mais gostosa e o calor mais provocante, como quando você corre no parque por 5 quilômetros e sente aquela satisfação gritante, sabe? Ele é porto seguro, incentivador, o salvador da pátria, como o carregador do seu celular quando você só tem 1% de bateria. Ele colocou minha bagunça particular no lugar, organizou minha confusão emocional, deu ordem a balburdia, exatamente como a chapinha faz com seu cabelo rebelde, sacou?

Você está conseguindo entender o que ele representa? É o bilhete de loteria, o peso certo na balança, a liquidação na loja predileta, o chuveiro quente. Ele é o guarda-chuva na tempestade, o controle remoto da TV, a pipoca com manteiga, uma crônica do Rob Gordon, o ar condicionado no verão. Ele é o café expresso, as doses de Busca Vida, o 13º salário, o cheiro de livro novo. Ele é o novo episódio da série, a brisa do mar que sopra no rosto, um poema do Fernando Pessoa, o diploma da faculdade. Enfim, ele é a barra de chocolate gigante, o copo de Coca-Cola gelada, a viagem de férias, a massagem nos pés, o Chopp gelado.

Resumindo… ele é como Bacon!
Acho que agora ficou mais claro.

COMPARTILHAR
Monika Jordão
Atriz, escritora e paulistana. Acredita que o papel reflete mais do que o espelho. Apaixonada por livros, futebol, tequila, café e Coca-Cola. Buscando sempre o equilíbrio emocional e os amores inesquecíveis.

RECOMENDAMOS



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here