Ela quer mudar a si mesma porque não aprendeu a valorizar sua essência não notada

Imagem de capa: Olimpik, Shutterstock

Quando ela se olha no espelho não gosta muito do que vê. O reflexo ali não é uma distorção, mas a exatidão do que ela é. O vidro mostra as curvas de seu corpo escondidas por roupas largas, a pele pálida pela falta de sair ao Sol, e no rosto um sentimento de tristeza transmitido pelo silêncio, assim qualquer um poderia dizer que ela não é muito feliz e que se pudesse escolher seria uma pessoa totalmente diferente. E se visse um Gênio da Lâmpada, ela pediria a ele para ter o poder de mudar a si mesma como quiser, para se moldar de acordo com os padrões que lhe foram ensinados durante anos a fio. E depois de concedido o seu desejo, ela desperdiçaria os outros dois, pois apenas esse lhe bastaria.

Porque na cabeça dela a solução de todos os seus problemas está na mudança do seu corpo. Ela quer porque quer ser diferente, se reinventar, se reescrever, se reconstruir. Ela quer ter outro cabelo, outra cor nos olhos, uma altura maior, um peso menor. Ela não consegue se vê e dizer ao seu reflexo que ela já é o suficiente para se amar, que tem tudo para ser feliz, mas ela prefere se encher de dor e se torturar nas constantes comparações que vive fazendo. Se compara com fulana que tem aquele namorado só porque tem um corpo escultural, e depois se compara com outra menina que tem o melhor trabalho porque a aparência dela é agradável.

E assim vai se perdendo em becos sem saída, pois quando entra nesse pensamento de enumerar os próprios defeitos em detrimento das qualidades alheias, vai deixando de lado a sua verdadeira essência e não sabendo mais que caminho estava trilhando, e não sabendo onde queria chegar. Ela tinha sonhos de mudar o mundo através de atitudes, sentimentos e motivação, e tudo isso não depende de que cor é a sua pele ou que formato tem seu rosto, mas do que há dentro do seu coração e o que ele diz de bom para o ouvido de pessoas sedentas de paz. Mas ela prefere se agarrar a superficialidades do que se aprofundar em seu próprio eu cheio de nuances, cheiros e jeitos.

Ela tem uma alma tão bem regada que qualquer beija-flor ou borboleta gostariam de lá morar. Ela tem um jardim interno e mesmo assim quer se tornar um deserto, porque a seca de amor é que atraí os olhos do mundo e ela quer tanto ser vista. Ela quer ser notada, que os outros a vejam e elogiem seu cabelo, seu vestido, seu batom, mas eles só sabem admirar o resultado de sua inteligência e ela diz que até hoje sua cabeça não lhe fez conquistar nenhum homem. Mas se está solteira a culpa não é sua, mas o problema está em alguns homens que não sabem ver além de pele e osso, que não buscam uma alma intensa e um coração que ama sem medidas.

Então que ela pare de ser ver como uma casa vazia que precisa ser demolida e em seu lugar construída uma nova, mas que ela se veja como um lar que abriga criatividade, bondade, mansidão, alegria e leveza, e que ainda poderá abrigar aquele que escolherá se aprofundar em vez de boiar na superfície, mas que verá aquilo que ninguém antes viu, que se importará com o que ninguém dava importância e valorizará cada detalhe que ela gostaria de ter arrancado e jogado fora. Porque o cara que lhe dará amor e cuidados não ficará porque ela tem um corpo de modelo de passarela, mas porque ela tem um sorriso que leva embora seus problemas e que o faz sentir paz.

E que desde agora ela perceba que se continuar tentando ser outra nunca terá autenticidade, e nem ganhará notoriedade. Além de que tudo isso que diz respeito a imagem um dia passa, corrói e desmorona. A pele enrugasse, o cabelo embranquece, e o corpo ganha mais volume e peso. É assim mesmo. Nenhuma beleza é eterna. Por isso deve parar de tentar imitar essas pessoas que ganham a vida ao se expor, pois elas têm como trabalho mostrar uma aparência de perfeição e sorrir como se nada de ruim lhe acontecesse. E que nem deve sentir mais inveja ou vontade de ser como elas, ter o que elas têm, ir aonde vão e ter hábitos semelhantes. Que ela seja autêntica, que liberte sua unicidade e seja quem verdadeiramente é, sem máscaras e depreciações.

Que ela se ame, pois não poderá receber amor enquanto não consegue fazer isso por si mesma. Que se veja no espelho e não faça disso a maior tristeza do seu dia, mas que saiba que nada daquilo mostra sobre o que ela leva por dentro. Que lembre que esse reflexo não pode mostrar seus sonhos, qualidades, risos e guerras que venceu no silêncio ao lado de Deus. Que na maior parte do tempo foi o único que a amou e que não quis que ela tivesse outro corpo, pois Ele a fez assim e gostaria que ela se visse como Ele a vê. Pois ela é a menina que o faz sorrir e dizer que naquele coração há amor para transbordar e inundar o mundo inteiro.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Tatielle Katluryn
Nessa existência já há 20 anos, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. Escrevo desde os 13 anos, mas nunca imaginei que a escrita faria parte da minha vida e hoje não passo um dia afastada das palavras. Mas nada disso é mérito meu, pois Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações como o meu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here