Ela anda tão ocupada que se esqueceu de cultivar amor em seu coração solitário

Imagem de capa: Oleksii Shalamov/shutterstock

Há tanta coisa para ela fazer. Há livros para ler, seriados para assistir, roupas para lavar, compras para fazer, trabalhos para entregar, reuniões para comparecer, dentre outras coisas. A rotina dela está apertando em volta de seu corpo e ela se encolhe no pouco tempo que ainda resta. Mas não pode descansar, pois o mundo não para por estar ela cansada, e a vida continua mesmo que ela esteja esgotada fisicamente e emocionalmente. Tem que produzir, dá o seu melhor em tudo que faz, seja varrer o chão ou falar diante de um grande público. Mas tem que ir, tem que fazer, tem que correr atrás. Não pode ficar parada respirando enquanto observa as nuvens no movendo pelo vento no céu.

E ela vai fazendo tudo, preenchendo sua vida com objetivos, metas e planos. Vai perseguindo aquilo que sempre foi seu sonho, ou nem tanto assim, mas que agora faz parte de sua vida e não pode dar tudo de si, pois ela é intensa demais para fazer algo pela metade. Porém o que as pessoas não veem é que detrás dessa menina que não para, dessa garota que vive sorrindo e diz que a correria do dia-a-dia não a afeta, chora quando chega em casa e pensa que ainda há tanto a ser feito. Ela que procurou tanto sua independência, quis estudar, trabalhar e ainda dar atenção as pessoas, tudo isso ao mesmo tempo, está ficando sem forças.

Infelizmente, ela não consegue diminuir o ritmo para apreciar o Sol se pôr ou olhar os passarinhos em revoada que estão indo se esconder nas árvores. Ela não consegue mais tirar sua mente do mundo para olhar para dentro de si e vê que se deixou em último lugar, porque quer ser uma pessoa que sirva como exemplo. E ela é tão elogiada. Todos a veem como uma pessoa forte que não tem tristezas e nem decepções, pois a sua rotina não permite isso. Ninguém vê que há um coração sozinho que gostaria de ser percebido, pois detrás dessa moça que estuda tanto, trabalha muito, há uma garota que quer vista além do que faz, mas que a vejam como uma pessoa de sentimentos e qualidades.

Porém os outros veem apenas seus resultados. Eles a elogiam por conseguir ganhar mais um prêmio ou nota alta, mas não sabem o quanto se sacrificou para chegar ali. Não sabem o que ela teve que abrir mão, não ligam para o que sente e nem para o que deseja, só querem o produto final e que ele seja perfeito como todo o resto. E a cobrança é tanta em cima dela, pois ela sente vontade de corresponder as expectativas dos outros, como se tivesse algo para dar a eles e não a si mesma. A verdade é que ela vive em volta de elogios, ela anda porque eles dizem que está tão bonita assim, se focando no profissional e não no emocional que pode machucar e atrasar sua vida.

Mas mesmo que o mundo diga para ela ser a que faz e não a que sente, ela tem saudades de quando sua alma era mais valorizada que seu corpo ou sua mente. Quando ela podia sorrir de uma piada qualquer, sair a noite para tomar sorvete na praça, ler romances que fazem chorar, assistir filmes que ninguém acha legal. Ela sente falta de ser apenas uma pessoa que quer ser abraçada, e ter um homem para ser seu refugio nos dias sombrios e escuros quando a solidão invade seu quarto e diz a ela o quanto é sozinha. Todavia, ainda continua mostrando apenas um lado seu ao mundo e enquanto continuar assim não deixará que vejam seu sorriso.

Eles só sabem ver suas mãos que trabalhavam e sua mente que inventa, mas não olham para dentro e procuram ver se ainda há paixão, alegria e emoção. Se há lágrimas que insistem em cair no silêncio e gritos abafados pelo medo de se mostrar um ser humano carente e vulnerável. Eles cobram e ela corresponde, dá o seu melhor e precisa procurar se superar, e assim seu outro lado vai sendo cada vez mais esquecido. E ela tem vergonha de pedir ajuda, de abrir o coração e mostrar suas dores não curadas. Mas ela precisa se ver no espelho e olhar no seu reflexo uma pessoa que vale mais que números, potenciais, talentos e palavras inteligentes.

Que ela se veja como pessoa dotada de amor para dar e um coração para receber. Que não desperdice seus dias atrás de sucesso, fama e dinheiro. Pois tudo isso aqui um dia vai acabar e o que restará? Diz que não quer construir uma família, mas o que será dela daqui uns anos? Uma casa grande, bonita, mas vazia? Uma cama sem alguém dormindo ao seu lado? Um jardim enorme sem crianças correndo por ele? Então que essa moça perceba que perseguir seus objetivos com garra é louvável, mas deixar seus sentimentos de lado é lamentável. Que ela abra os olhos antes que seja tarde. Que pare de buscar resultados imediatos, mas que aproveite a paz que tem naqueles momentos onde não temos nada para oferecer, a não ser nós mesmos e ser quem somos sem medo de julgamentos.

COMPARTILHAR
Tatielle Katluryn
Nessa existência já há 20 anos, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. Escrevo desde os 13 anos, mas nunca imaginei que a escrita faria parte da minha vida e hoje não passo um dia afastada das palavras. Mas nada disso é mérito meu, pois Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações como o meu.

RECOMENDAMOS



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here