Não deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar

Imagem de capa: Janpen Boonbao, Shutterstock

Parece que só acreditamos na nossa capacidade de vencer quando os outros também acreditam. Todos têm a necessidade de um olhar otimista quando a vida dá uma volta daquelas. Eu, tu, nós, vós, eles, todo mundo. Mas nem sempre é assim que acontece.

Nesse momento nos restam duas coisas: desistirmos de confiar na capacidade que temos de vencer na vida ou assumirmos esse papel do olhar otimista, sabe? Quero dizer, ou vamos sofrer pela falta de confiança do outro em nós mesmos ou iremos em frente, apesar do outro.

Parece uma decisão fácil, mas não é. Nada é óbvio nesse mundo e a questão toda está na diferença que um abraço confiante faz nos momentos mais complicados. O desafio surge para que possamos vencê-lo e nenhum fardo é dado para quem não pode carregar.

Sei bem que sozinho fica mais difícil, mais duro, mais pesado. E quando alguém diz que não vamos conseguir, muito pior do que a dor que isso causa, é o fato de que geralmente somos quase convencidos disso.

E quando é alguém que vive perto da gente, meu amigo, fica tudo mais traumático. Porém, quero falar sobre isso não somente para lhe convencer do quanto você é capaz, mas para me lembrar disso também.

Somos testados o tempo inteiro. Tem gente que já nasceu sendo testado, que já veio ao mundo para encarar os desafios mais diversos. Escutei essa semana que isso é para os fortes e tudo que acontece na vida vem para o nosso bem.

Quando algo aparentemente ruim acontece, olha só, não necessariamente é ruim de fato. Talvez seja o começo de uma nova oportunidade, talvez seja a sua chance de fazer dar certo o que quer que seja.

Dividir um novo desafio pode ser importante para que tenhamos braços e mãos que nos empurram para frente. Porém, e isso é muito sério, podemos cair de cara no chão quando os braços e mãos não atendem às expectativas que criamos.

E não é culpa de quem falta, entende? Talvez essa pessoa só consiga enxergar um lado do caminho, talvez nem isso. Não é culpa de quem falta, não é culpa de quem espera. Por vezes, por muitas vezes, procuramos os abraços que sabemos que não faltarão, mas eles também faltam.

Não é culpa de ninguém.

A nossa melhor opção é acreditar que somos capazes de dar a volta por cima ou de recomeçar do zero de novo, ainda que estejamos sozinhos nesse momento. Se para tudo existe uma explicação divina, e tenho acreditado nisso cada dia mais, só devemos confiar de que as coisas acontecerão como tem que ser.

Quando alguém duvidar da sua capacidade ou afirmar que você não vai conseguir, por favor, não discuta ou discorde, pois isso vai gerar ainda mais sofrimento. Todos nós temos uma missão a cumprir nessa dimensão, nem sempre vamos entender os motivos ou compreender as pedrinhas que nos pedem alerta.

Precisamos apenas aceitar que existe algo muito maior do que qualquer cargo, poder ou conta bancária. Talvez tenhamos certos desafios para vencer antes do triunfo, talvez a vitória seja justamente vencer os desafios, ou talvez estejamos esperando demais dos outros e menos da gente mesmo.

Você é capaz, amigo. Você é um vencedor. Você é um guerreiro. Você é incrivelmente especial nesse mundo. E não importa quantas vezes vai cair, mas de que forma vai levantar. “Quem cai sete vezes, levanta oito”, diz uma música por aí.

Se você for atingido pela flecha dolorosa dos que não confiam em você, deixa doer o que tiver para doer, mas não pare no meio do caminho. Ninguém veste seus sapatos para entender o que esses pés já enfrentaram. Não há quem possa afirmar que você não é capaz, além de você mesmo.

Segura a onda, sei que não é fácil. Olha para frente, na direção do tempo que voa sem pausa. Você vai chegar lá, e vai chegar bonito, sabe por quê? Porque você é capaz de qualquer coisa que desejar realizar. Você não está sozinho. Você tem a si mesmo e essa já é uma linda parceria.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Não estou muito preocupada com meus créditos, eu quero saber mesmo é do que me arrepia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here