Em vez de esperar algo de alguém, olhe pra dentro

Imagem de capa: Bogdan Sonjachnyj/shutterstock

Digamos que você esteja em numa relação. Não importa de que tipo: sexo sem compromisso, com intenções sérias, namorando, o que seja. Qualquer contato íntimo com outra pessoa é uma relação, inclusive aquelas sem muito compromisso. E a ausência dos compromissos mútuos, em geral, denota falta de respeito ou de atenção para com a outra pessoa.

A base para relação deve ser a consciência sobre sua natureza. Ou seja, você deve saber quais são seus próprios interesses e aceitar os da outra parte.

Se você se apega somente à satisfação das próprias necessidades, estará se tornando um manipulador cruel que abusa da outra pessoa. Por outro lado, se deixa de considerar seus próprios interesses e se preocupa somente com o bem estar de sua parceira ou parceiro, então estará se tornando uma vítima. Estas são as duas opções das relações de dependência. E “simplesmente sexo” costuma ser um caminho para esse tipo de relação.

Uma relação sadia pressupõe que os interesses das duas partes sejam satisfeitos.

Se você precisa de atenção, mas não a recebe, tem dois caminhos: ou entra em acordo com sua parceira ou parceiro para que as condições passem a ser boas para ambos ou faz a fila andar e busca alguém que satisfaça suas necessidades.

Agora, se você começa a ignorar que está insatisfeito no relacionamento, então podemos dizer que já se tornou dependente. Um pouquinho de consciência e ar fresco nessa cabeça o farão concluir que algo não vai bem.

Costumamos comparar a relação de dependência a espécie de chiclete esticado: é como se você estivesse numa ponta e sua parceira ou parceiro na outra. Às vezes é até divertido jogar esse estica e puxa. Mas, se você perceber que sua parceira ou parceiro está jogando enquanto você está grudado pelo coração (ou por outras partes abaixo da cintura), então é hora de arrancar esse grude e jogar fora o chiclete.

Alguns sintomas do desgaste:

• Você escreve um, dois, três bilhetes. Liga pra sua parceira ou parceiro. E não tem resposta. Ou ela ou ele atende uma vez a cada cinco telefonemas.
• Você está esperando um pedido de casamento. Vocês já haviam falado sobre isso e ela ou ele concordou. Mas nada. Matrimônio, depois de tanta conversa sobre o assunto, virou assunto proibido.
• Você sente um cheiro de traição. Tem até alguns indícios, mas ele ou ela não quer falar do assunto e foge da conversa.

Há muitas situações em que você pode sentir que uma relação está chegando a um ponto sem volta nem futuro e elas são fáceis de detectar.

Se for esse o caso, termine. Sim, TER-MI-NE. Tenha força de vontade. Vai doer? É bem provável que sim. Mas, continuar numa história como essa provavelmente vai doer muito mais no futuro. Isso não significa que você deva escrever mensagens odiosas como “Desgraçado, estou indo embora!”. Simplesmente decida o que vale a pena pra você. Se não for, diga com todas as letras. “Não está bom”. Simples assim.

Pode ser que sua parceira ou parceiro esteja numa fase em que, por causa do excesso de trabalho, não consiga atender. Mas isso é diferente de ficar sem dar sinal durante dias…essa situação, sim, mostra falta de vontade. Nesse caso, se você mesmo começa a achar justificativas para o silêncio do outro lado, então significa que já está grudado pelo chiclete. Sabemos que sempre dá pra arranjar um tempo pra quem realmente importa.

Também pode haver outros detalhes.Suponhamos que sua parceira esteja deprimida. Não pelo dia chuvoso ou porque ela não conseguiu aquela promoção. Ou seu parceiro pode estar de bode, mas não por causa do time que perdeu. Não é isso. Estamos falando de depressão de verdade, que, tecnicamente, é uma doença. Uma depressão tem sinais claros: sono, ansiedade, dores musculares, etc.

Nesse caso, a única coisa que você pode fazer é aconselha-la a procurar ajuda médica. Se ela vai aceitar ou não essa sugestão, muitas vezes é algo que está fora de sua alçada.

Ou talvez estejam passando por um período de baixa da relação. Sim, isso é normal. Relacionamentos vêm e vão, melhoram e pioram. E pode ser que a má fase seja dos dois e do relacionamento. Aqui, cabe perguntar: é só uma fase? Ou a relação está viciada e voltamos ao problema do chiclete mascado?

Se você acha que deve esperar que algo melhore ou que sua parceira melhore, o melhor é olhar pra dentro. Pense em sua casinha interior. Isso sempre ajuda a normalizar a relação.

Autora: Liliya Ahremchik
Tradução e adaptação: Incrível.club

FONTEIncrível Club
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos

Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: “A Soma de todos Afetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here