Ela não suporta cantadas, mas poderá aceitar teus elogios.

Imagem de capa: eldar nurkovic/shutterstock

Eu falo de palavras doces, aquelas ditas do fundo da alma quando o coração anda apaixonado pelo universo de um simples olhar. Falo de sentimentos puros e alegres, quando aquela mera coceira no peito, tornar-se a razão do coração bater mais rápido.

Há mulheres de todos os tipos mundo afora. Mulheres que gostam de receber flores, outras que odeiam chocolates. E ainda aquelas que não suportam nada disto. Mas se tem algo que todas as mulheres gostam, são elogios. Mas preste bem atenção nas palavras que você vai dizer por aí, pois eu não me refiro a cantadas cuspidas da boca pra fora em benefício próprio. Me refiro aos simples elogios ditos do fundo da alma, daqueles que enchem o peito uma vontade imensa de gritar mundo afora o quanto ela tem os olhos mais perfeitos que você já viu, e que você poderia fazer morada naquelas retinas marrons por toda a vida.

Mas vai com calma. Elogiar a roupa e o cabelo no primeiro encontro é um bom começo.

Elas odeiam cantadas, mas poderão, quem sabe, aceitar teus elogios.

Elogiar uma mulher é esquecer todas as horas que ela te deixou naquele chá-de-cadeira esperando, e passar toda eternidade contemplando a sua beleza no momento em que ela desce as escadas, abri a porta da frente, e ilumina todo quarteirão nas madrugadas da cidade. Elogiar uma mulher é ser sincero consigo mesmo ao proferir simples palavras aos ouvidos femininos. É saber a dosagem certa de cada adjetivo dedicado á ela. Elogiar uma mulher vai muito mais além do que dizer que ela está linda hoje – mesmo que fundo, ela goste de escutar isto. Mas elogiar uma mulher é ter a certeza que de ela vai se sentir segura nas tuas palavras, e quem sabe assim, ela poderá se sentir segura nos teus braços.

Lembre-se:

Um elogio sincero vem do fundo do peito. Jamais da boca pra fora.

Por hoje é só isso mesmo, meninos.
Até já.
Fui.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Pedro Ficarelli
Apaixonado pela poesia feminina. Acredito fielmente que o amor seja o infinito que resolveu morar no detalhe das palavras. Muito prazer, eu me chamo Pedro Ficarelli, e escrevo com o único intuito de pôr palavras onde a tua dor se faz insuportável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here