E se fosse assim?

Imagem de capa: Yuliya Yafimik, Shutterstock

Por muito tempo questionei sobre o que teria sido diferente na minha vida. Será que alguma coisa teria mudado? O que posso esperar do futuro? E se tivesse feito tudo de outra forma?

Pensei (diversas vezes) que poderia ter me dedicado um pouco mais, e então, passado na Federal. Pensei sobre as oportunidades de emprego que perdi por medo de não conseguir. Ou dos amores que deixei partir sem ao menos lutar por eles.

Pensei essas e outras coisas até entender algo muito valioso – a diferença não é tangível. Normalmente não é, viu? É como se por algum motivo teimássemos em materializar a diferença, ou aquilo que supostamente deveria acontecer. Mas na verdade, não é esse o problema. Não estamos dispostos a fazer diferente, estamos dispostos ao pensamento futuro, “e se fosse assim?”

Posso te dizer uma coisa?

Tudo aconteceu (realmente) como deveria acontecer. E não duvide disso! Tudo o que fizemos, por mais que nos pareça estranho, nos trouxe até aqui. Te trouxe até essa leitura, nos apresentou!

Uma das coisas que aprendi nesse processo é que a única coisa que eu posso fazer diferente (sempre), é aquilo que os olhos não conseguem ver. É a na forma de pensar, de agradecer, de viver. Isso sim faz diferença.

Talvez o seu lugar não seja onde imaginou, mas talvez seja! O que quero é dizer que você não precisa se lamentar por isso. Afinal, temos vida e fôlego em nossos pulmões.

Cabe a nós mesmos a mudança, somos os agentes dela. Fazemos acontecer!
Que tal, a partir de hoje mudar as coisas DENTRO de você?! Talvez, a partir daqui, algumas coisas mudem. Acredite, sempre muda.

Desejo que você tenha um futuro pleno. Antes de externar a plenitude, que ela habite dentro de você. Que a gratidão faça morada, que os sorrisos não dependam de coisas e que as lágrimas não existam. Que você seja uma pessoa melhor amanhã. Não por ter, mas por ser. Seja a maior mudança no mundo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Bárbara Fernandes

Sempre escrevi em diários, e guardava-os todos para mim. Até descobrir que existiam mais pessoas que precisavam ler. Então, aqui estamos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here