10 características dos pais tóxicos

Imagem de capa: ESB Professional, Shutterstock

Embora acreditemos que dar total liberdade a nossos filhos é positivo para eles, a verdade é que esta é uma atitude dos pais tóxicos que pode prejudicar o futuro da criança.

Muitas vezes os pais tóxicos não são conscientes de que seu comportamento prejudica seus filhos em vez de beneficiá-los. Em sua tentativa de tentar ser bons pais, cometem graves erros.

O positivo é saber reconhecer que não somos perfeitos e que, às vezes, algo que acreditamos ser bom, na prática, é muito negativo.

Por isso, hoje veremos 10 características dos pais tóxicos que temos que aprender a identificar para encontrar uma solução para a situação.

É importante manter a mente aberta e, se você é pai, aceitar que pode estar errando em alguns pontos.

1. Consigo o que quero através da manipulação

Ser pai e ser manipulador? Ainda que não acreditemos, existem progenitores que usam seus filhos para conseguir o que querem.

Embora pense que seu filho não se dá conta, a verdade é que esta atitude pode causar uma ferida emocional muito profunda que repercutirá em seu futuro.

O pai fará com que seu filho se sinta mal, culpado, e tudo para conseguir o objetivo de sua submissão: fazer-lhe se sentir mal, tê-lo à sua mercê, que a criança faça o que ele quer, que pense como ele.

2. Às vezes perco a mão

Não estamos nos referindo somente à agressão física, mas também à agressão verbal.

São aqueles pais tóxicos que lançam insultos e palavras desqualificadoras que provocam uma grande falta de autoestima nos filhos.

Talvez o cansaço, as responsabilidades, as ocupações, façam com que os pais não tenham a paciência adequada para enfrentar os problemas que podem surgir.

“Você é burro”, “Você é um idiota”, “Você não sabe se comportar direito,” “Você não sabe falar corretamente”… Tudo isso causará desastres nos mais jovens.

3. Você já sabe que eu te amo, para que demonstrar isso?

A falta de afeto é um dos principais problemas que no futuro podem dar lugar a carências afetivas que nos levam a sofrer de dependência emocional.

Além disso, pode gerar desconfiança e graves desequilíbrios nas relações interpessoais que mantiverem no futuro.

O afeto, o carinho, tudo isso é importante. Não devemos supor que nosso filho já sabe que o amamos; temos que demonstrar nosso amor. Somente assim conseguiremos fazer com que cresça de forma saudável e feliz.

4. Suas preocupações não me interessam

Você se lembra de quando seus pais não te escutavam? Alguma vez você confiou seus segredos a eles? A falta de comunicação gera desconfiança e faz com que não possamos nos expressar livremente com nossos progenitores.

Os pais pouco comunicativos fazem com que a criança esconda seus sentimentos e suas emoções, o que desemboca em uma falta de gestão das mesmas e em um terrível bloqueio por não conseguir exteriorizá-las.

Além disso, escutar as crianças fará com que elas se sintam queridas e atendidas. A escuta ativa é muito importante.

5. Não gosto destas amizades para você

Você não pode controlar com quem seu filho anda, os grupos nos quais ele se sente confortável. Não aceitar as suas amizades fará com que ele se rebele.

Seus filhos não são iguais a você. Talvez a criança ou adolescente faça parte de uma banda, tenha amigos de quem você não gosta, ou amigos que fumam, etc., no entanto, há coisas que não podemos controlar.

Sempre que seu filho respeite, seja ele mesmo e seja feliz, devemos deixar que esteja com quem quiser.

6. Você precisa estudar, você precisa ser…

Às vezes temos certas expectativas em relação a nossos filhos: queremos que seja professor, médico, músico, mas você já lhe perguntou o que ele quer?

Muitas vezes não é só querer, e sim poder. Se seu filho não se dá bem com a matemática ou a ciência, como poderá ser médico?

Isso só lhe causará frustrações, muita agonia e a desaprovação da própria família. Permita que ele seja o que quiser.

7. Você não pode fazer isso, eu posso

Um dos principais problemas dos pais tóxicos é tentar ensinar aos filhos bons comportamentos quando eles não os realizam.

Pensemos, por exemplo, no fato de dizer palavras feias ou ter alguma atitude agressiva em relação aos demais. Dizemos a nosso filho que não o faça, mas se você faz, como ele pode entender que não deve repetir a ação?

A incoerência nunca será uma boa base para uma educação correta.

8. Você deveria ter tirado um 10

Há pais tóxicos que são muito exigentes com seus filhos. Você se lembra daquele colega de sala que chorava por não ter conseguido tirar a nota máxima? E você ficava super feliz com o 5 que passava raspando…

Os pais devem controlar seu nível de exigência. É melhor tirar um 10, é claro que sim, mas obrigar seu filho a tirar a nota máxima a qualquer custo não é uma boa ideia.

Há muitos fatores que influenciam isso: ele não gosta da matéria, teve um dia ruim. Se ele tirar uma nota baixa, não é o fim do mundo.

É um aprendizado, e não uma competição.

9. Não se preocupe, eu o protegerei

A superproteção é um dos piores comportamentos que um pai pode ter. Devido a ela, os filhos não saberão tomar decisões e enfrentar seus problemas.

A grande dificuldade surge quando, de repente, eles não dependem mais dos pais. É aí que se sentem perdidos e não conseguem fazer frente às circunstâncias.

Não é bom proteger seu filho dentro de uma bolha onde ninguém possa machucá-lo. A vida, no final das contas, nos ensina à base de quedas e cometendo erros.

10. Coma e beba o que quiser

Ensinar hábitos pouco saudáveis a seu filho não será positivo. Deixar que ele beba álcool desde pequeno, fume ou faça outras práticas prejudiciais não será benéfico.

Isso lhes dará uma visão de mundo sem regras e nem restrições. De fato, eles podem ter problemas de saúde desde muito jovens, com o sobrepeso.

Os pais tóxicos são muito negativos para seus filhos, mas sobretudo para eles mesmos. Por isso, devem aprender a abrir os olhos e não rejeitar a possibilidade de que estejam cometendo grandes erros.

Os filhos não têm culpa por sofrerem as consequências por suas más ações.

Fonte indicada: Melhor com Saúde

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here