Vamos ser plural, mesmo com nossa singularidade

Imagem de capa: Maksim Ladouski, Shutterstock

Conheça meu melhor sorriso, meu jeito bobo e alegre de ser, mas não se esqueça de conhecer meus abismos, meus medos, meu avesso. Nem sempre serei a rosa que enfeita e perfuma o seu quarto bagunçado, às vezes, você vai sentir os espinhos e, talvez, se machucar. Mas, isso faz parte, se quiser ter uma rosa, ainda assim, terá que segurar nos espinhos. A escolha é sua, nunca saberá se valerá a pena, se não arriscar.

Preste atenção no que eu falo. Me escute, principalmente, quando eu nada disser, sou feita de entrelinhas e, para lê-las, você terá que se misturar a elas. Fale de mim, mas converse comigo. Olhe para mim, mas me enxergue além, sou mais do que esse amontoado de peles e ossos num corpo cansado que seus olhos veem. Ria de mim e para mim, abraça-me com seu olhar. Sinta-me mesmo sem me tocar. Me perceba, repare o que ninguém nunca notou, estude meus movimentos, meus gestos, meu olhar e descubra como eles se alteram quando você se aproxima.

Fique por perto, mas respeite meu espaço. Não admito que nada tire a minha liberdade. Seja meu par, mas continue único e me deixe ser assim também. Vamos ser plural, mesmo com nossa singularidade e trafegar na mesma direção de mãos dadas com a reciprocidade. Mergulhe no meu mundo sem medo de se afogar, até que nossas órbitas se alinhem e o nosso universo se torne um só. Me conte seus segredos, manias e defeitos, se entregue por inteiro, pois, migalhas não vão me alimentar. Gosto de fartura, bonança, aquilo vem para transbordar. Se não for pra me lambuzar prefiro nem experimentar, acho melhor sobrar do que deixar faltar.

Seja minha saudade mais bonita quando eu me distrair, o motivo do sorriso bobo que preenche meus lábios, mesmo quando eu estiver só. Seja a inspiração dos meus versos e das minhas canções favoritas. Seja meu esconderijo, recanto seguro onde eu encontre a paz que eu procuro dentro de um abraço. Seja simplesmente você, sem cortes, sem censura, sem meias verdades e, para mim, já será o suficiente. Sua autenticidade será fundamental para tornar esse nosso pequeno infinito surpreendente, só depende você, tente…

COMPARTILHAR
Rachel dos Santos
Paulistana, porém mineira de coração. Viciada em música e sorvete, adora filosofar no facebook e compor canções que guarda a sete chaves. Estudante de jornalismo , pretende construir um mundo mais bonito por meio de seus escritos. Acredita que a simplicidade é a chave que abre a porta da felicidade. Sempre usa reticências no final das frases porque sente que sempre há um pouco mais a se dizer...

DEIXE UMA RESPOSTA