Procura-se um amorzinho que deseje amar.

Imagem de capa: Markevich Maria, Shutterstock

Não acho que seja utopia, antes que alguém abra a porta do peito e grite que não acredita em nada do que vou escrever aqui. Amar bonito é tão bom, tão simples e tão barato. Insisto na flor do jardim do vizinho, na cartinha colorida, na música dedicada, no jantar surpresa, nas pétalas de rosas na cama anunciando uma doce noite.

Tudo isso e mais tantas outras coisas que custam tão pouco, né? Acaba tudo em segundo plano depois de um tempo de relacionamento. É ou não é? Um deixa de mandar a flor, o outro já não escreve aquelas coisas bonitas, enfim, a parada toda esfria.

Quando os pequenos detalhes desaparecem, todo o resto vai perdendo espaço.

Se você quer um amorzinho que acredite no amor bonito, que acorde você com flores, que faça seu prato preferido, que invista no churrasco de domingo, que use a rima para lhe arrancar um sorriso.

Oi, estou aqui.

Pode chegar, mas só se quiser um amor que lhe prenda com carinho em seus braços, que não permita que você fuja nas asas da acomodação. Um amor que peça que você fique quando a rotina sufocar e ceda espaço para que o sentimento respire, inspire e não pire. (Tsc. Tsc).

Se você procura o chinelinho, a tampa da sua panela ou a metade da laranja, cola em mim. Vai que não seja nada disso, mas vai que seja isso e muito mais. Quem vai saber? Mas só bata na minha porta, presta atenção, só bata na minha porta se você quiser um amorzinho.

Gosta de vinho? Adoro vinho seco, se for Argentino… ah, eu piro. Sopas, muitas sopas no inverno e pouco, bem pouco sorvete no verão. Levanto cedo, viu? Mas não tenho problema com isso. Posso correr, andar de bike ou ler o jornal enquanto você dorme. Talvez ainda dê tempo de lhe acordar com um café da manhã.

Se você estiver triste, não se preocupe, ficarei em silêncio respeitando a sua dor. Porém, confesso que meu colo sempre foi um bom lugar para desentristecer. Tudo bem se um dia nada disso fizer sentido para você, sei que na raiva a gente perde a noção, é assim mesmo.

Porém, olha só, uma coisa eu garanto: ainda estarei aqui quando a tristeza passar. Quero um amor que procure um amorzinho. Inho mesmo. Não de pequeno, entende? Um amor bonito, desses que quase ninguém acredita. Alguém que tenha esperança, independente de religião, igreja, Deus, Buda ou o Papai Noel.

Que olhe para frente sem esquecer o que passou, mas que também não faça do passado um monte de mágoas guardadas que só servem para amargurar a alma. Procuro um amor que queira viajar, mais para dentro do peito do que para qualquer outro lugar. Quero um amorzinho que olhe o outro com respeito, que veja além da cor, do cargo ou do cabelo.

Quero um amor que goste do sol e que saiba a importância da chuva. Que se permita errar, mas que esqueça o orgulho na hora de se desculpar. Mas, vou lhe dizer, se você não for nada disso, mas procura alguém para sonhar junto, para derrubar as paredes que limitam nossa visão de mundo e que seja grato simplesmente por estar vivo.

Oi, estou aqui.

Na bem da verdade, sinceramente? Não quero saber de nada disso. Para dois corações baterem juntos, amigo, só uma coisa precisa importar:

Procura-se um amorzinho que deseje amar.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

1 COMENTÁRIO

  1. lindo texto, vem lá do fundinho da alma, quem não sonha com um amorzinho assim? Eu sou como esse amor, mas na correria a pessoa não se importa mais com vc, já não se interessa mais, e vc vai desanimando e tudo vai se perdendo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here