Porque não pulamos para aquela parte no futuro…

Imagem de capa: KIRAYONAK YULIYA, Shutterstock

Já imaginou se um dia você tivesse a oportunidade de viajar no tempo em direção ao futuro e ter uma curta conversa com uma versão sua mais velha, e então pudesse retornar e reescrever sua história? Imagine o quanto essa poderia ser uma jornada interessante e importante para uma reflexão pessoal de como a sua vida é hoje e qual o real significado dela.

Se pudéssemos colocar nossa vida toda num papel, traçaríamos uma linha reta dividida em três momentos cruciais. A primeira e sem divida, a maior parte dessa linha representa nosso passado, a jornada que trilhamos até o momento e que fez com que esse momento acontecesse. A segunda parte dessa linha e consequentemente menor, é o agora. O instante em que vivemos. O último segundo que tomamos uma nova decisão, uma vez que o presente é completamente líquido e se esvai antes mesmo que possamos nos dar conta. A terceira parte dessa linha é um ponto ainda em projeção. Ponto esse que pode e deve ser alterado a todo o momento. Um ponto futuro que depende diretamente de toda a linha da vida para se tornar real. Essa parte da linha está presente apenas no nosso subconsciente e assim como nós a ela muda a todo o momento.

A partir do momento que tomamos conhecimento disso, devemos aprender a aproveitar e viver o presente em sua totalidade. Quantas vezes nos pegamos imersos a atividades que nos fazem tão bem que não percebemos o tempo passar. Ou então quando estamos em companhia de pessoas que nós gostamos e o tempo parece correr tão rápido, e quando você menos percebe já passou mais do que você imagina. A imersão em tais atividades é tão satisfatória que faz com que possamos encontrar uma motivação a mais para realizar aquilo que nos dá prazer.

Quando não há prazer em realizar uma determinada atividade, a nossa mente não está completamente envolvida com aquilo. E começa a viajar de maneira inconsciente a outro plano. A insatisfação com o agora desperta um sentimento de fuga para outro lugar da sua linha do tempo, seja no futuro ou no passado.

Em geral a viagem para o passado nos remete a um mundo cheio de nostalgias, onde buscamos refúgio nos momento de conforto. Se hoje você esta desempregado, por exemplo, a lembrança de quando você tinha um determinado emprego parece boa, mesmo que naquele momento tivéssemos certeza que aquele não era o nosso lugar. Amplificamos os momentos bons do passado com uma expectativa de suprimir as falhas do presente, deixando assim elas de lado.

Em outros momentos, a viagem para o futuro parece ainda melhor. Pois no futuro podemos ser tudo aquilo que imaginamos. Podemos realizar nossos sonhos, nossos desejos, sem erros ou falhas. No futuro tudo é possível. Porém o ponto crítico é que quanto mais sonhamos com um futuro perfeito ou com um passado de boas memórias, o nosso presente continua parado, estacionado em um ponto qualquer. Por isso devemos fazer uma reflexão própria e decidir de uma vez por todas onde queremos viver e onde queremos estar de verdade e por inteiro.

Assim como a linha da vida que se divide em três pontos, devemos decidir em qual deles manteremos o nosso foco: Ficar preso a um passado seja ele bom ou não, estar imersos a um futuro de diversos sonhos, ou viver o presente por inteiro. Para isso devemos nos perguntar primeiramente até que ponto estamos vivendo o presente. O quanto estamos envolvidos com o agora? E se não estamos felizes, de onde vem tamanha insatisfação?

Se você continua preso às lembranças do passado, cabe uma reflexão sobre o quanto isso influencia o seu presente. Devemos compreender o nível correto de nostalgia que podemos nos permitir. O que de tão bom aconteceu no passado para que não conseguimos deixá-lo para trás? Ou em alguns casos o que aconteceu de tão ruim que ainda nos prende lá?

Se você vive preso aos sonhos do futuro também vale uma reflexão. Afinal o que você está fazendo para tornar isso real, ou então quais foram as medidas que você tomou para construir o caminho que te leva até esse futuro tão maravilhoso? Sonhar com o futuro é algo importante e uma ferramenta fundamental para a vida, mas construí-lo é algo ainda maior do que possamos imaginar.

De todo modo, tanto o passado quanto o futuro são dois pontos da linha da vida os quais não podemos modificar. Tudo que está escrito no passado, já passou, não tem mais volta. E o futuro será sempre uma incógnita. Só temos jurisdição para fazer o agora, mudar esse momento. Porque o passado só terá valido a pena se tiver sido preparado para o agora. E o futuro só pode ser construído com o que começamos hoje. Os nossos planos e sonhos do futuro só são capazes de acontecer se passarmos a construí-los nesse momento. Não espere para mudar amanhã, porque o amanhã é só uma página em branco no futuro e o agora é que precisamos começar a escrever.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Igor Cruz
Arquiteto, urbanista, escritor, podcaster e editor. Escrevo em busca de algo que me conecta com o outro, que me faz emergir em uma onda de amor e pensamentos sobre o que a vida ainda pode ser. A escrita é uma ponte que nos conecta há um novo mundo cheio oportunidades e conhecimentos. Cabe a nós e somente nós, dar o primeiro passo para atravessar essa ponte. Podcaster no InFormais Podcast.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here