Só depois que virei mãe, reconheci o amor de uma

Não adianta. A gente só descobre que nossas mães são umas heroínas e mulheres superpoderosas depois que nos tornamos uma delas. Parece a coisa mais absurda isso, mas é real!

Não há como saber da condição de mãe sendo apenas o filho. Não dá pra ter a real noção da responsabilidade e da bagagem de coisas que ela precisam pensar, executar, cuidar e viver sem estar na pele delas.

É possível reconhecer em alguns momentos como elas são fabulosas quando deixam tudo preparado, arrumado, de caso pensando pra gente, mas não há como se dar conta do quanto elas são incríveis antes de viver este movimento.

Sempre ouvi a expressão: “O dia que você virar mãe, você entenderá”. Ah tá bom, tá bom… pensava.Olha, essa é a frase mais verdadeira da vida!

Primeiro sentimento que passei a ter pela minha mãe depois que me tornei uma foi admiração e gratidão.

A maternidade me trouxe muitas memórias de como fui criada e de como minha mãe dava conta de cuidar e de criar três filhos pequenos. Sou gêmea e tenho um irmão 2 anos e meio mais novo. Ela praticamente teve trigêmeos! E eu, com apenas uma filha me questiono como ela dava conta de tudo? Que correria danada que ela vivia e eu não tinha noção disso.

Penso agora que poderia ter ajuda, facilitado, poderia ter feito algo? Quem sabe! Mas não havia como saber…

Quando pequenos, mães não deixam transparecer suas lutas para que não nos sintamos culpados por algo que na verdade não temos culpa. Quando ficamos um pouco maiores, penso que temos obrigação de ajudá-las! – mas isso eu só penso agora porque também sou mãe.

E falando nisso, é incrível mesmo a transformação que ocorre após a maternidade. É o maior divisor de águas que pode ocorrer na vida de uma mulher. Uma verdadeira metamorfose corporal e sentimental.

Esses dias mesmo, num chá de bebê, a mãe de primeira viagem me questionava coisas que me fizeram refletir e lembrar: dos meus medos e anseios antes de ter minha filha. É tudo muito novo e realmente a gente se preocupa: Será que vou dar conta?

A gente lê livros, escuta depoimentos, conselhos, entra em blogs, sites, vira assinante de revista de bebê, procura se abastecer de todo tipo de informação para se sentir mais segura. Mas não há nada que ensine mais que a própria vivência.

É só mesmo parindo que a realidade acontece e que nos damos conta de que a mãe nasce junto com o filho.

Meu melhor conselho a ela foi: “você irá se surpreender com você mesma”!

E é isso que posso dizer a uma mãe que esta prestes a ganhar seu primeiro filho. Além daquilo que todas elas devem saber: “ouça a sua intuição”.

Mães são mágicas e ser uma é mesmo uma grande aventura. Para aquelas que estão embarcando nessa, preparem-se para ser a capitã deste barco. Um mar de responsabilidades a aguardam. Mas saiba que ventos de amor serão sempre favoráveis à navegação.

Não deixe para agradecer suas mães e demonstrar afeto e carinho por elas. Elas são mesmo sensacionais! Não é preciso ser uma para perceber… Não deixe que seja tarde.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Anieli Talon
É jornalista, atriz, locutora, dubladora e tem a comunicação como aliada. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações .

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here