Quantas dores tu carregas neste peito menina?

Me conta dos rapazes que tanto te magoaram fingindo serem quem não eram. Me fala das noites que não dormiu quando as lágrimas insistiam em cair inundando todo teu quarto te afogando em profunda tristeza. Me fala das tuas falhas e dos teus medos que te apresento meus remendos. Me conta mais das tuas histórias e dos teus relacionamentos mal acabados. Mas me fala das tuas risadas e de coisas alegres também, gosto dos teus dentes tortos encarando os meus e da maneira que o teu sorriso largo se solta por ai. Quero saber das tuas aventuras mundo afora, das línguas que aprendeu e que ainda irá aprender, das culturas que conheceu e das danças que costumava dançar.

Me fala dos teus sonhos, se deseja casar na igreja ou na praia, se almeja ter filhos. Me conta dos teus segredos e sussurra em meus ouvidos palavras com tons alegres. E esquece o passado pois ele nunca tem nada novo a dizer. Me fala um pouco do amor que te mostro um pouco dele. Deixa eu te mostrar um lado diferente deste que tanto magoou este dias. Se deita um pouco nos meus braços – conhecidos como os mais seguros da costa leste. E viaja uns dias comigo sem roteiros sentindo a brisa suave da vida te abraçar novamente.
Some um pouco comigo por uns dias. Noronha ou Paris? Deixa eu roubar teu coração e prometo devolvê-lo com sentimentos maiores com os quais carregava. Junta teu sorriso ao meu e se tiver medo, seremos medrosos juntos, lembra?

Deixa eu quebrar este muro de Berlim que você construiu em teu peito e te provar que o amor vence tudo, só não vem com data de vencimento.

Some comigo novamente ou pra sempre, não importa. Tua mãe pode esperar. Teus amigos podem esperar. Teu ex pode esperar. O universo pode esperar. E a gente prova ao mundo que em segundos juntos o amor cura todas as horas separados.

Copyright: ker_vii / shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Pedro Ficarelli

Apaixonado pela poesia feminina. Acredito fielmente que o amor seja o infinito que resolveu morar no detalhe das palavras. Muito prazer, eu me chamo Pedro Ficarelli, e escrevo com o único intuito de pôr palavras onde a tua dor se faz insuportável.

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here