O que virá, não tem culpa do que se foi

Imagem sianstock, Shutterstock

Você deve tá aí. Cabeça longe. Coração perdido.

Quem você amava, se foi. Pois bem. Relaxe. Feche os olhos. Vou te falar umas coisas baixinho no ouvido:

Algumas coisas não duram para sempre. Algumas coisas são apenas de momento. Algumas coisas aparecem em nossas vidas pra nos ensinar; ensinar que tipo de amizade te afeta, o tipo de gente que você não quer por perto e o tipo de amor que você quer bem longe.

Culpar o que se foi pela desordem dentro de ti, não vai adiantar. Ele não irá voltar e arrumar a casa pra você. Se ajeite. Tudo ficará sereno.

Alguém novo chegou. Abra o peito. Dessa vez, sem medo. Se não for, diga adeus sem mágoa ou peso no coração. A leveza tem que estar sempre perto, pra que o peso das coisas não te derrube.

Outro alguém não irá ser igual ao que você viveu. Não se prenda à isso. Algumas coisas você pode guardar dentro de você, com carinho e respeito. Outras, melhor jogar ao vento.

Quem chegou, não tem culpa da tua dor. Quem chegou não podia prevê o momento, nem mesmo evitar se esbarrar nessa alma amanteigada que se derrete com quase qualquer gesto de bom afeto. Valorize isso.

Abra a janela. Deixe o vento soprar boas coisas pra ti. Ficar se fechando não irá resolver as coisas. Deixe acontecer. Não crie expectativas. Apenas viva. Seja transparente. Mostre teus cortes sem medo, mas não queira que o outro seja cirurgião e apenas trate das tuas feridas sem ao menos um gesto de gratidão de sua parte. Não tenha alguém como doutor da carência. Às vezes ficar só é melhor que está com alguém sem verdadeiramente estar.

Eu já quebrei a cara várias vezes. Magoei pessoas. Me refiz aos poucos e aprendi que caminhar sem esperar muito, é caminhar e viver o hoje na calmaria e intensidade.

Se alguém chegou e você deixou ficar, não seja rasa. Deixe que o outro mergulhe sem medo no teu ser, pra que aí sim, ser o ser que você esperava ter do lado. Sem resquícios. O que foi, se foi. O que aconteceu, aconteceu. Agora o que acontecerá, só depende de você.

Quer voltar atrás ou seguir adiante?

Pode parar pra pensar. Não há vergonha nisso. Você vai rir e perceber que muitas vezes, algumas coisas deveriam ter ido embora muito antes, pra que outras chegassem.

Não controlamos a vida, mas a sua escolha, só você pode fazer.

Eu escolhi deixar ser. Ser eu mesmo, pois só assim eu deixei o que chegou entrar, e fechei a porta para o que se foi.

Para adquirir o livro de Flávio Jonatan, clique aqui em “Do amor e outras coisas”.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Flávio Jonatan
Olá. Meu nome é Flávio Jonatan, sou um pisciano intenso com tudo que faço e me relaciono, e acima de qualquer coisa, acredita no poder do amor e qualquer outro sentimento afetivo positivo. Servidor público pelo estado de Minas Gerais, sou apaixonado pelo universo feminino, futebol, vinhos, cervejas e roda de amigos. Viagem comigo por vários sentimentos e lugares ocultos dentro de ti.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here