Nunca é tarde demais para dizer “e daí?”

As coisas nem sempre são como gostaríamos. O seu relacionamento amoroso não anda bem? Você não se dá bem com seus pais? Sente que ninguém o respeita ou ama? O seu trabalho é um lixo? Você teve uma infância ou uma adolescência complicada? Se estas e outras coisas o derrubam, é porque você permite. No entanto, nunca é tarde demais para tomar as rédeas novamente.

O jeito de enfrentar os seus problemas e de encarar o que vem depois é o que faz a diferença. Não importa o tempo que os seus fantasmas o perseguiram, o tempo que você leva tentando superar seus medos ou o que você acha que os outros procuram lhe impor. Nunca é tarde demais para dizer “e daí?”

“Às vezes as pessoas permitem que o mesmo problema as oprima durante anos, quando poderiam dizer: e daí?”

Compreender para aceitar, aceitar para se recuperar

Aceitar a situação é a única coisa que fará você se recuperar. Somente quando você aceita que as coisas são como são e não como você gostaria que fossem, consegue as armas necessárias para lidar com a sua realidade. Jogue a rodada com as cartas que você tirou, você não pode escolhê-las.

Você precisa tentar compreender as regras do jogo, a estratégia dos outros jogadores e dos obstáculos que surgem para poder jogar as suas cartas. Não importa se existem explicações lógicas, não se trata de racionalizar a situação. Dá na mesma você não concordar, não estar de acordo ou não entender o porquê. O que importa é que aceitando o que vier você poderá se recuperar porque você sabe de onde partiu.

“A compreensão é o primeiro passo para a aceitação, e somente com a aceitação pode vir a recuperação”.
-J.K. Rowling em “Harry Potter e o cálice de fogo”-

Solte o lastro

Não podemos mudar o que já vivemos e o que nos aconteceu, mas podemos mudar o jeito como encaramos o que está por vir, inclusive a forma de encarar a nós mesmos. Por isso, a primeira coisa a fazer é perdoar a nós mesmos. É preciso soltar o lastro para avançar.

As coisas não são do jeito que você gostaria que fossem? E daí? Se não há nada a fazer, por que você permite que isso o consuma? Por que você continua deixando que isso o controle? Nunca é tarde demais para mudar o seu jeito de ver as coisas.

Nunca é tarde demais para começar de novo, para se apaixonar novamente, para fazer o que você gosta, para ser o que você deseja ser, para se descobrir internamente… Nunca é tarde demais para soltar o fardo, por mais que você tenha acumulado na sua mochila emocional ou por mais ligado que você esteja a ela.

Se tiver que ser assim, que seja

Empenhar-se em mudar as coisas nem sempre é uma opção possível. De verdade, a única coisa que você pode mudar é a si mesmo. Somente mudando a si mesmo vai existir a possibilidade de você inspirar alguém a mudar, mas enquanto essa mudança não for voluntária, não há nada a fazer.

Às vezes as circunstâncias são o que são, e não há nada a fazer para evitá-las ou mudá-las. Então é preciso se adaptar, esperar e não se preocupar tanto com o que não se pode mudar. Existem muitas outras coisas nas quais se concentrar enquanto isso, por exemplo, se preparando para o que virá depois.

“Porque depois de tudo, a melhor coisa que se pode fazer quando está chovendo é deixar que chova”.
– Henry Wadsworth Longfellow-

Caminhe para frente, sem carregar o que você precisa deixar para trás

Se você não parar de olhar para o passado, irá perder muitas das coisas boas que o esperam pelo caminho. As coisas não têm por que serem iguais. Você também não precisa esquecê-las, apenas tem que deixá-las passar, lhes dar o seu lugar na sua história sem arrastá-las a cada passo que dá.

Talvez para o resto do mundo os seus erros e a sua história sejam imperdoáveis e insuperáveis, talvez ao seu redor você não tenha o amor que deseja. Mas a única coisa que importa de verdade é que você perdoe a si mesmo, que você ame a si mesmo.

Não seja dramático. Você não tem a vida que desejava? E daí? A que você tem está cheia de oportunidades, mas você só as enxergará quando parar de olhar para o lado errado.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here