Me corto ao meio para ser inteiro seu

Quando alguém pergunta qual é a maior perfeição do universo, confesso que logo penso em você. Não só pelos olhos verdes que mais parecem pequenos pedaços de sonhos, nem mesmo pela boca cheia de fragmentos sobre a vida e a fantástica fábrica de chocolate – seu filme preferido.

Você tem uma beleza quase voraz quando sofre com as mazelas do mundo. E as lágrimas escorrem pelo rosto, enquanto você garante para mim (e para você) que tudo vai melhorar. É bela no choro, mas não mais do que no riso. É por inteira pecado, mas por dentro é paraíso.

E gostar de você acaba sendo quase uma missão de vida. E admirar você virou minha função preferida. Dos cabelos aos pés: você é linda. Olho para o lado e percebo que as flores concordam comigo e a cada passo seu: o jardim ganha brilho.

E esse cheiro que sai de você quando levanta combina perfeitamente com o ar que respiro. E esses olhos que controlam tudo em volta e como você finge que não tem nada a ver comigo. E reclama que eu não lembro a cor da sua blusa no dia em que nos conhecemos. E de como não sei dizer o que mais gosto em você quando propõe aquele jogo maluco que você adora.

Adoro quando me testa como se eu não entendesse a brincadeira. E como fica brava quando saio de fininho naquelas horas derradeiras. E briga porque olhei para o lado, e briga quando faz presente o passado, e reclama sem parar quando eu não ligo para nada disso – e ainda insisto que estamos perdendo tempo.

E você se perdoa pelo descontrole e assume que “ser” humano é isso mesmo. E a gente ri sem parar no chão da sala até que um beijo nos cala, nos prepara, nos imuniza de todo e qualquer som. E a única melodia que escuto é o suspiro profundo quem vem de você, seguido de um abraço que enlaça e me laça pela noite inteira. E as estrelas se apagam para que você adormeça. E dou rasteira na lua em troca da nossa escuridão, pois é no escuro que o nosso corpo festeja.

E a gente vai levando – sem trancos e sem barrancos -, só com o balanço do nosso mar de afeto. E o apreço que sinto por você, e o carinho que dedicas a mim e tudo isso junto é o que nos faz sem fim. Eternos diante da promessa de nos fazermos felizes.

É que você encaixa em meu peito como aquela peça perdida do quebra-cabeça. E monta seu castelo no meu coração. E me coloca como rei dessa imensidão aí de dentro. E eu simplesmente aceito o emprego com gratidão.

E faço valer minha tarefa de lhe pertencer. E só me desfaço em pedaços sem medo porque é em seus braços que me faço inteiro.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ju Farias

Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here