Há mais de mil amores em cada esquina.

Eu gosto de você, mas você gosta de outro, ele gosta dela e ela, da outra.

Para amar, não existe gênero ou definições. Amor, é o sentimento capaz de unir duas pessoas. Falar em amor, hoje em dia, é praticamente contar a história dos dinossauros: algumas pessoas acreditam, outras procuram pistas e a grande maioria, cuida cautelosamente de uma galinha acreditando ser uma espécie em extinção.

O que é mito ou realidade?

Assim como os dinossauros, pessoas com um bom coração também tornaram-se apenas uma lenda. Embora existam algumas provas de que, algum dia, eles estiveram nesse mundo, nada pode ser comprovado com os próprios olhos. Eu já escutei fábulas de relacionamentos sólidos que deixaram marcas nessa época. Mas isso faz tanto tempo, que a minha memória está falha. Atualmente, a maior dificuldade em encontrar alguém é a certificação de que essa pessoa está livre. Essa liberdade é constatada não por uma aliança no dedo ou através de status em redes sociais, vai muito além: liberdade é carnal e emocional.

O que adianta cuidar das galinhas e comer os seus corações?

Acontece o mesmo com os humanos. Por muitas vezes, cultivamos pessoas ao nosso lado para não ficarmos sozinhos. Mas se racionalizarmos, é possível perceber que a solidão se faz presente mesmo em momentos íntimos. A pior coisa, é ter alguém fisicamente do nosso lado, sentindo o seu calor, escutando a sua voz e essa pessoa estar presente em um passado nada perfeito. Sabe, os poucos que se libertam e vivem intensamente, são mais felizes. Afinal, é muito difícil encontrarmos alguém que goste da gente. Sempre conhecemos alguém que gosta de outra pessoa, que é apaixonada por outra e está envolvida com outra.

Eu não sei o que você está buscando para a sua vida. Mas uma coisa é certa: entrar nesse ciclo é uma opção completamente relativa. Uma vez que você aceitou, não existem novas chances ou escapatórias. Tentar romantizar com um coração mastigado ou já digerido, é apostar no incerto que não depende e nunca vai depender de você. Não é possível reconstruir o que outra pessoa causou e mesmo se você arriscar, nada nunca vai voltar a ser o que sempre foi.

Se você quer cuidar de uma galinha, se você prefere tentar enganar-se sobre as origens do dinossauro, faça isso. O meu conselho é apenas te contar que daqui a pouco, você será velho o bastante para voltar a ler contos de fadas. Enquanto isso não acontece, você pode perceber, assim como eu percebi, que qualquer tentativa de enxergar princesas ou príncipes em quem não tem a menor vocação para esse papel é a burrice mais comprovada. Você sempre pode mudar qualquer história.

Com toda essa autonomia, por que você ainda aceita chorar por quem não te quer?

Preserve a sua espécie, seja se mantendo com um bom coração ou acreditando nas pessoas. Afinal, pessoas sensíveis estão cada vez mais em extinção. O mal está ao nosso redor na maior parte do tempo, a bondade está se tornando sinônimo de antiguidade e demonstrar sentimentos, pode ser considerado uma atitude vergonhosa. A preservação da espécie é capaz de substituir qualquer relato mal contado. Assim como ela também é capaz de proporcionar esperança ao novo ciclo que está se iniciando.

Toda história de amor, é uma jornada de longa espera.

E você está esperando o que para ser feliz?

Escreva imediatamente a sua história de amor.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Jéssica Pellegrini
Nunca confie em uma escritora confusa e romântica. As controversas entre um texto de amor e outro de desilusão, podem causar questionamentos pessoais. Consequentemente, sequelas mais graves.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here