Sobre essa história de amor

Não é meu primeiro texto sobre amor, e quase impossível ser o último. Sou uma romântica incalculável, não daquelas de ficar vendo filmes de romance, mas daquelas de se apaixonar por uma simples frase bonita e ficar chorando feito louca só por pura emoção. Dê-se o nome para isso de eu ser uma pessoa louca ou apenas intensa mesmo.

Talvez seja mais complexo definir “o que é amor” do que definir entre ser da esquerda, direita, centro, extrema esquerda e direita, e bla bla bla. Mas de uma coisa eu sei, amor é mais simples do que imaginamos! O difícil mesmo é PRATICAR. Sim! acredite. O ato de amar não é tão bicho papão igual muitos colocam, na realidade, a dificuldade encontra em manter esse amor.

Paixão difere muito de amor, como muitos sabem. Se você não sabe, é o seguinte: Quando é APENAS paixão, nem sempre você vai aceitar os defeitos do outro. Quando é só paixão, não é suficiente “segurar a onda” quando o outro está com dificuldades. Paixão valoriza muito o físico,nem sempre o interior da pessoa. Paixão arde, é fogo. Paixão é viciante, e esse vício algumas vezes causa dor. Paixão é gostoso de sentir no início, mas não resiste as tempestades da vida. Paixão na maioria das vezes é apenas uma ilusão. Paixão acaba rápido, muito rápido se não virar amor.

Todo amor já foi paixão, e nem toda paixão consegue virar amor. Hoje quem ama, já foi apaixonado e pode ser apaixonado ainda… Mas amor é escolha. Quando eu digo isso, muitas pessoas não concordam, mas eu vou explicar. É somente o amor que é capaz de suportar os muitos defeitos que o outro tem. É somente o amor que consegue fazer uma pessoa se desdobrar pra ajudar o outro. É somente o amor que faz a pessoa perdoa e continuar. É somente o amor que faz DAR A MÃO nas dificuldades e não simplesmente soltar. Pra fazer tudo isso, você tem que escolher, ou seja, o amor é escolha. Você escolhe quem amar sim. Se for somente paixão, com certeza a “escolha” não é permitida. Paixão somente, cega. O amor, liberta.

Muitos casais se separam tão rápido que até hoje consigo ficar de boca aberta. Mas porque? Talvez porque faltasse o amor e a paixão fosse a pequena chama acesa. Quando há amor, há uma insistência pela redenção do outro. Há uma luta, um apoio sem igual. Paixão é tão quebrável que não resiste à uma simples ventania. Casais que se apaixonam pelo físico, não conseguem resistir. Casais que se apaixonam somente pelo sexo, não conseguem resistir. Casais que não consegue enxergar os defeitos, vira doença. Infelizmente quem fica junto por paixão, o tempo vira uma tortura. Mesma coisa quando só um ama na relação, o tempo passa e a pessoa que antes era apaixonada, passa a viver sob tortura por não amar o parceiro na mesma intensidade que ele o ama.

Amar é simples, difícil é praticar. Amar não exige mais do que sua entrega para alguém que também quer entregar, a dificuldade aparece quando não existe reciprocidade. Aí fica penoso, fica complicado. Não é lindo fazer de TUDO por alguém que não faz NADA.

Porém, sou defensora do amor. Acho sim que as pessoas deveriam amar mais, se doar mesmo e dar a cara pra bater… Mas tudo com uma boa pitada de consciência e razão.

Se aparecer uma oportunidade de amar, ame! Mas ame mesmo. Ame quem ama você, quem é recíproco. Ame quem valoriza seus pequenos gestos. Ame de dia, de tarde e de noite. Ame porque amar é lindo. Ame com consciência e razão. Ame com paixão, com romantismo, com seu jeito. Simplesmente, ame.

COMPARTILHAR
Déborah Izy
Taurina, cerveja, ler, escrever, barzinhos, cinema, séries, filmes, super heróis, e amante da vida, acredito fielmente no amor. Vamos viver!