Quem não dá assistência perde para a concorrência – a triste história de quem não soube dar valor

Tô falando de carinho, cafuné, beijinho, atenção, companheirismo e mais uma porção de coisas clichês que fazem qualquer um se derreter de amores.

Perdeu, playboy!

Não deu atenção, perdeu para o Ricardão.

Deixando de lado a brincadeira, começo esse texto dizendo o seguinte: sinto muito, mas quem não dá atenção ao parceiro está pedindo para ganhar um pé na bunda. Simples assim!

No meio de bilhões de pessoas, ela(e) escolheu justamente você para manter um relacionamento. Não existe lanche grátis na vida, é preciso oferecer algo em troca. Amor, no caso. Se você não for a melhor pessoa nesse quesito, o mercado oferecerá alguém para ocupar o seu lugar.

Os economistas advertem: quem não dá assistência perde para a concorrência. E nem adianta reclamar.

Tô falando de carinho, cafuné, beijinho, atenção, companheirismo e mais uma porção de coisas clichês que fazem qualquer um se derreter de amores. Pode ter certeza de que não é todo mundo que está disposto a oferecer isso tudo.

Não precisa ser nada rebuscado, nem caro, nem impossível de se fazer. A lei aqui é ser simples e dar atenção quando teu parceiro precisar, estar do lado quando a coisa ficar feia, oferecer o ombro para ele(a) chorar – homem também chora, droga.

Se você não fizer, outro vai fazer. E vai fazer bonito, vai fazer com gosto. E olha que nem estou falando de traição, como se a falta de carinho fosse uma espécie de desculpa para dar umas escapadinhas. Teu parceiro vai simplesmente te deixar, chamar para a DR mais chata da sua vida.

“Te amo, mas você prefere vídeo-game”. Pronto, perdeu. Perdeu bonito.

Relacionamentos acabam por muito menos, te garanto. Hoje em dia ninguém fica com ninguém por obrigação, então não pense que só porque você é um astro do sexo ou tem uma pegada forte que vai poder deixar de cuidar. Talvez isso funcione em alguns casos, mas vai por mim, todo mundo merece amor, carinho e carícia.

Se isso está em falta, mais cedo ou mais tarde a concorrência aparece. Quando isso acontecer, não venha falar que eu não te avisei.

COMPARTILHAR
Valter Junior
Amante de café, boas ideias e mulheres de atitude. Adora conhecer pessoas, filmes e músicas novas. Fundador do Puta Letra. Pai de um livro, esperando o segundo bebê.



DEIXE UMA RESPOSTA