Não perca tempo com amores difíceis

Chamamos de conquista. É a justificava que se utiliza para esforçar-se e correr atrás de alguém que – em um primeiro momento – não está tão afim de você. Geralmente é assim, se quer o que não se pode ter. Deseja-se o que parece inatingível.

O problema disto é que, na maioria das vezes, não vale a pena. Acaba tornando-se um desgaste emocional que no fim das contas se transforma, apenas, em desperdício de energia. Agradar alguém que não tem interesse em ficar com você é perda de tempo. Querer estar com alguém que não tem como prioridade te ter ao seu lado é perda de vida.

Às vezes, acredita-se que algumas pessoas são tão ótimas no imaginário que se cria delas, que vale a pena pagar qualquer preço para tê-las em suas vidas, para que elas se tornem as protagonistas do seu dia-a-dia.

A verdade é que ninguém merece tanto esforço assim. É errado mudar a sua essência, os seus gostos e o seu jeito para tentar encaixar-se em outra pessoa. Bom mesmo é quando chega alguém que te admira por quem você é, sem máscaras, sem teatros e sem maquiagens. O bacana é quando chega alguém que se apaixona pelas suas imperfeições e vê nas suas limitações, motivos para continuar aqui.

Quando é pra ser, a pessoa gosta de você mesmo se aparecer na vida dela de pijama na padaria em um domingo de manhã. Porque quando chega alguém que é para ficar tudo é simples. Ela ri das suas piadas, gosta do seu cheiro e se sente em paz na sua companhia. É harmônico, como se ela já soubesse o roteiro a ser seguido.

Desconfie se uma pessoa é difícil. Se a conversa não tem continuidade ou encontrar-se com ela é custoso. Não há dificuldade quando existe vontade, é apenas falta de interesse. Não precisa gastar energia demonstrando o seu valor para alguém que não quer enxergar a beleza que é fazer parte dos seus dias.

Bom mesmo é ser natural. Acreditar que, um belo dia, alguém que compreenda o seu valor aparecerá. Alguém que acredite na magnificência que está em você – além do pijama de bolinhas ou da conversa sobre gostos musicais. Alguém que te permita demonstrar o seu mundo por vontade própria.

Porque a melhor parte da vida é quando chega alguém que te faz ver a vida simples, quando a conversa não se torna uma estratégia de xadrez, e sair para ver o entardecer não precisa de burocracias. Alguém com quem se possa conversar sobre a lua, a vida, o futuro e os seriados atuais, sem perder o entusiasmo.

O melhor momento desta odisseia de relacionamentos é quando chega alguém que te traz a certeza de que você é a melhor pessoa do mundo sendo exatamente quem você é. Não é disto que todos precisam?

A vida já é complicada o suficiente para querer amores difíceis também.

COMPARTILHAR
Francisco Galarreta
"Empresário, 26 anos, peruano, mas gaúcho de coração. Meu fascínio é observar as pessoas e compreender os sentimentos alheios. Sofro de empatia crônica e sou adicto em criar emoções. Como resultado destas características, nascem inúmeros textos sobre amor, relacionamentos e outras variáveis."



4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA