Minha irmã, meu anjo!

(Faço esse texto inteiramente dedicado a minha irmã, como uma forma de presentea-la, através das palavras, no seu aniversário 28/11)

Já fui apresentada assim: “sua irmã”. Pronto. Sem mas, porém, questionamentos e afins, ela é sua irmã e ponto final. Mas ninguém me avisou o que, ao certo, isso significava. Filhas do mesmo pai e mãe, era a explicação mais cabível. “Ora, o que você mais quer que seja explicado?” Acho que alguém pensaria ou me responderia se eu me atrevesse a questionar isso.

Mas o tempo foi passando, eu fui crescendo e comecei a entender que esse conceito de irmã que haviam me apresentado estava raso demais. A vida foi me mostrando que ser e ter uma irmã é muito, muito mais do que ter laços consanguineos fazendo alguma ligação. Na verdade, me arriscaria até a dizer que tais laços tornam-se insignificantes perto da construção de um amor fraterno tão lindo, intenso e sólido. As pessoas me apresentaram como irmã, a vida e as vivências apresentaram-me como anjo da guarda.

Os momentos de dores serviram para mostrar que nunca estivemos sozinhas, que, de uma forma particular, que varia muito de uma para a outra, estamos amparadas pelo amor que aqui existe. Os momentos de dúvidas nos mostraram que, independente das escolhas feitas, continuaremos uma ao lado da outra. Sem julgamentos ou condenações. Os momentos de alegria nos comprovaram que felicidade compartilhada com quem a gente ama e nos ama de verdade, é felicidade triplicada.

E só me resta agradecer. Agradecer por ter tido a sorte de minha vida ter sido gerada em um lar onde você, minha irmã, está presente. Sorte por ter você como amiga, confidente, parceira. Sorte por ter meu jeito respeitado e amado. Sorte por ter você.

A vida me mostrou que você é luz. Que sua alma é florida e o coração transbordante. Que você é sim, cheia de defeitos, mas que isso nunca foi empecilho para ser quem és. E só me cabe desejar que os seres superiores cuidem de você e que a vida lhe traga tudo de mais maravilhoso, pois só assim conseguirei sentir, um pouco, que você está sendo recompensada. Pois tudo de bom que vier a acontecer no seu caminho, é pouco diante da imensidão de amor, boas energias e felicidade que você merece.

Ter você como irmã é ter o privilégio de conviver, todos os dias, sentindo e vendo, o meu anjo da guarda. O amor que eu sinto é infinito e, sem dúvida alguma, eterno.

COMPARTILHAR
Ana Luiza Santana
"Estudante de psicologia, nascida no Pernambuco, mas escolhida pela Bahia(amo). Intensa por naturalidade e louca por amor. Completamente apaixonada por abraços apertados, sorrisos e pessoas de aura leve e energia positiva."



DEIXE UMA RESPOSTA