E esse tudo agora, é você

É que meu coração bateu mais forte sabe, e quando tu ficaste apenas a alguns palmos a minha frente tudo aqui dentro virou desordem. Pensei ter sido mera coceira no peito, mas as batidas cardíacas aceleradas em meu peito insistiam em gritar o que minha boca não conseguia dizer. Eu, que andava me escondendo do amor representado por diversos casais apaixonados nas esquinas da vida, dentro das salas de cinema ou em cafeterias no centro, agora me pego cantarolando pela casa “o amor me pegou por completo”.

Ai de repente você me aparece com olhinhos pidões e um sorriso talhado no rosto e me pergunta; Onde-eu-poderia-pegar-um-ônibus-para-o-centro-da-cidade? E todo aquele teu jeito bobo de falar me soou como poesia do Neto Alves. Eu queria saber explicar o que meu coração sente quando você se aproxima e sorrir com teus dentes tortos pós-minhas-piadas-sem-graça. É que de onde eu venho o amor é inexplicável, mas explica todo o resto.

Devo estar sendo meio confuso, não? Mas eu sempre fui um cado confuso, mas acredito não está sendo agora, ou talvez esteja sim, sei lá. É que o amor é como ter um livro repleto de poesias e não saber qual recitar. Amor não se entende ou se explica apenas se vive. E foi só você aparecer com teus olhos castanhos e teu sorriso bobo que este nada que me preenchia aqui dentro, se tornou tudo. Queria poder lhe mostrar o que se passa aqui dentro de mim, mas tenho mestrado em timidez e PhD em receio-de-rejeicões.

Entāo me conta um pouco do amor e eu te mostro um pouco dele.

Estou com tanta vontade de te entregar todos os beijos que não te dei. Põe teu vestido. Pinta tua boca. Casa comigo. Tira tua roupa. Mostra-me o infinito. Pega a estrada comigo sem rumo ou roteiros, partilha os sorrisos com o mundo e nem leva muita coisa não. Deixa o coração solto e leve, pois o amor não tem grades, amor é grande demais. Deixa as dores que te afligem para trás e me permiti carregar teu coração aqui comigo, prometo entregá-lo com sentimentos maiores ainda.

É que minha vida andava tão desconexa sem teus dentes tortos. Até minhas poesias eram um tanto quanto sem nexo, também. Mas contigo tudo se ajeitou, tudo se consertou. Tudo se entendeu pequena. E-x-a-t-a-m-e-n-t-e tudo.

E esse tudo agora, é você.

COMPARTILHAR
Pedro Ficarelli
Me chamo Pedro Ficarelli, tenho 25 anos e curso Letras. Garoto bobo apaixonado pela escrita e pelos contos do Gabito Nunes. Pernambucano de Olinda, carismático com um quê de romântico. Escrevo por vida desde moleque tímido com um sonho, de uma dia, minha palavras chegarem a teus ouvidos e visitarem teu coração. Escrevo para pôr palavras onde a dor se faz insuportável. Seja bem-vindo ao meu mundo, o nosso, onde um pouquinho de mim, somado a um pouquinho de ti, torna-se bastante de nós.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA