As linhas invisíveis do amor

Acredito deveras que os amores são ligados por linhas imperceptíveis das quais nos conectam há muito tempo atrás. Linhas que, nos dão pistas por onde devemos traçar nossos caminhos, mas não entregam o ouro de bandeja. Impossíveis de enxergar, possíveis de sentir. Algumas dessas linhas nos proporcionam o imenso prazer de poder caminhar lado a lado, mas infelizmente, nunca nos tocam da maneira como desejamos. São linhas que passam por nós com um único propósito de nos deixar aprendizado e experiências dentre o viés da vida.

Mas outras delas, ao se colidirem, fazem o todo o universo sorrir a este encontro. Uma junção de partículas impactantes, um momento de impacto que te escuta, te define, e te faz sentir o colorido da vida assim de uma hora pra outra. Tudo planejado com muito cuidado e afeto, e vai saber por quem.

Já notou as linhas desenhadas em suas mãos? Isso mesmo, essas que parecem ter um formato de “M”. São linhas incompletas à espera do encaixe perfeito. Mas se você se pergunta por quantas linhas passaremos até encontrarmos a verdadeira que sustentará tudo, aquela que dará sentido a vida. A resposta para esse questionamento saberemos no tempo certo, no encontro de destinos que andam distraídos e enrolados em outras estradas.

Quer um conselho amigo?

O amor encontra os que menos procuram. Aqueles que deixam a vida fazer seu papel assim como o mundo o faz, não aqueloutros que seguram a linha insistindo em saber onde se encontra o destino final.

Talvez em uma esquina no centro da cidade, numa estação de metrô, num barzinho do centro ou quiça dentro de uma cafeteria, a linha do amor vai te levar ao encontro perfeito. Por um choque intenso de almas, por um impacto de sentimentos, e te iluminará eternamente com o brilho das constelações pelo resto de tua vida. O amor é paciente, mas nunca ausente. E quando os corações se colidirem, quando as linhas se encontrarem, quando o momento for de impacto e os sentimentos se entregarem, tudo isto fará sentido meu amigo, menos esse texto besta que te escrevo.

COMPARTILHAR
Pedro Ficarelli
Me chamo Pedro Ficarelli, tenho 25 anos e curso Letras. Garoto bobo apaixonado pela escrita e pelos contos do Gabito Nunes. Pernambucano de Olinda, carismático com um quê de romântico. Escrevo por vida desde moleque tímido com um sonho, de uma dia, minha palavras chegarem a teus ouvidos e visitarem teu coração. Escrevo para pôr palavras onde a dor se faz insuportável. Seja bem-vindo ao meu mundo, o nosso, onde um pouquinho de mim, somado a um pouquinho de ti, torna-se bastante de nós.



DEIXE UMA RESPOSTA