Amores na idade madura: quando suas almas sábias se encontram

Uma vantagem que os amores na idade madura têm é que cada um sabe muito bem o que quer e o que deve oferecer ao outro.

Os amores na idade madura podem parecer, à primeira vista, iguais a qualquer outro. No entanto, para quem os vive, supõem a culminação da vida, o reencontro de si mesmo em outra pessoa com a qual se encaixam a mente e o coração.

O mais curioso dos amores maduros é que eles surgem sem que ninguém os espere. É comum que muitas pessoas tenham passado por vários fracassos afetivos e que, inclusive, tenham chegado a pensar na ideia de colocar uma fechadura em seu coração para deixar de sofrer.

No entanto, como ocorre em muitos casos, quando não se espera nada tudo chega e, de repente, acontece aquele encontro casual, aquela conversa sem importância que, pouco a pouco, vai conectando mundos, universos inteiros.

Convidamos a todos a refletir hoje sobre este tema dos amores na idade madura.

Amores na idade madura: os mais tranquilos, os mais sábios

Começaremos deixando claro um importante aspecto: é possível que a idade madura marque um determinado número de décadas vividas.

No entanto, a maturidade de alma, mente e coração não é marcada pelos anos vividos, e sim pelo aprendizado obtido e a sábia avaliação que tenhamos obtido com ele.

Por isso há quem, após chegar aos 50, pode mostrar a irresponsabilidade e imaturidade de um adolescente. Outros, por outro lado, chegam à idade madura com um equilíbrio interior onde tudo que foi feito fica assumido, e onde se olha o futuro com otimismo, serenidade e com muita vontade de seguir experimentando.

Vejamos mais detalhes a seguir.

Duas almas que se conectam com suas bagagens particulares

Somos todo o vivido, todo o sentido, valorizado e perdido. Por isso, na hora de iniciar uma nova relação, não serve para nada esquecer tudo o que foi experimentado ontem, nem apagar todos os amores de antes para focar no presente.

– A memória não esquece; a memória transforma e integra. Assim, os amores na idade madura se convertem em relações sábias e plenas onde o casal aceita todo o seu passado, porque ele serviu para saber o que cada um deseja no presente e o que não está disposto a suportar.

– São duas pessoas que se encontram com seus triunfos e com suas feridas pessoais e que, por sua vez, compreendem que para ser um casal não é preciso concordar em tudo, e sim respeitar as diferenças.

– Os amores na idade madura têm bagagens particulares mas, longe de escondê-las, podem falar delas com a cumplicidade de duas pessoas que se entendem e que, por sua vez, respeitam o passado de cada um.

A maturidade de desfrutar o presente com plenitude

Pode ser que já não tenham a juventude dos 20 anos, mas também não a desejam. Os casais que encontraram a felicidade na idade madura sabem e entendem que estão em seu melhor momento da vida, não sentem falta do passado nem temem o futuro.

– Não há melhor forma de desfrutar o presente do que através de um amor que nos dê expectativas, que nos una à terra e a nós mesmos. É como encontrar o que sempre havíamos sonhado e, por isso, vivemos em plenitude o “aqui e agora”, fortalecendo assim a nossa autoestima.

Um amor do nosso tamanho

Quando chegamos à maturidade, já passamos por muitos ciclos: podemos ter nos casado ou não, ter tido filhos ou não, ter enfrentado um divórcio ou não.

No entanto, depois de todas estas vivências, cada um sabe muito bem o que deseja.

A pessoa tem uma grande tranquilidade pessoal porque, no final das contas, os anos somam e nos “tornam pessoas” e isso é um valor adicionado que poderá fazer com que as relações, se escolhermos tê-las na idade madura, sejam vividas de outra forma.

A eterna juventude reside também na capacidade de amar

Ser jovem de coração é uma virtude que devemos trabalhar todos os dias, começando, sem dúvida, por amar a nós mesmos.

– Por sua vez, se damos o passo e decidimos iniciar uma nova relação chegada a idade adulta, esta injeção de juventude nos invadirá por dentro, enchendo-nos de expectativas, paixão, vontade, projetos e emoções muito vívidas.

– O amor não tem idade, nem raça, nem cor. Poucas coisas são tão universais quanto estas almas que se iluminam estando uma ao lado da outra para iniciar um caminho em comum.

Embora seja verdade que com os anos a inteligência e a reflexão caracterizam a maioria das pessoas, todos dispomos deste interruptor sem idade chamado paixão, chamado amor.

Esta dimensão maravilhosa que se encontra de forma casual e pela qual vale a pena lutar dia após dia.

Fonte indicada: Melhor com Saúde

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA