Ainda é você.

Ela chegou devagarinho, como quem não quer nada e me pegou no meio de uma tarde chuvosa. A saudade bateu e eu deixei ela entrar sem nem pensar.

A luz do seus olhos claros foram chegando, o som do seu riso tocava como uma saudação aos nossos momentos. Tudo voltou bem lentamente, como se pra eu lembrar de cada detalhe com calma, e viver de novo.

Eu aproveitei, sorri de novo, suspirei por serem só lembranças, lamentei por ter acabado, agradeci por ter acontecido. E depois disso tudo, percebi. Percebi que ainda é você aqui dentro, por mais que eu não fale e evite pensar, você ainda está aqui, ou melhor o que você deixou de si. Então deixa que seja você, até quando tiver que ser. Até quando o universo decidir que é hora de ser outro alguém ou não ser mais ninguém, até quando eu achar que já não vale mais a pena ser você ou até os outros serem metade do que você foi. Deixa ser até se for você pra sempre.

Bateu a tristeza agora, mas ela só está aqui por eu fui feliz e perdi isso, mas eu reencontro isso. Mesmo se for em você.

COMPARTILHAR
Gabriel Bernardi
"Estudante de Rádio, Tv e Internet, Cinema e amante da arte de se expressar por palavras. Canceriano, ascendente em Libra, acredita que o amor muda a forma que vemos o mundo e como levamos nossa vida. Livros sempre foram seus melhores professores, nos trilhos de trem e metrô aprendeu muito sobre pessoas. Considera um prazer escrever pra si mesmo e agora uma honra ser lido por você."



DEIXE UMA RESPOSTA