Quando abri meu coração

Hoje eu escolhi ficar. Ficar ao teu lado.

Já fui desses caras que não ligava pra sentimentos. Amor era utopia. Vivi alguns erros. Confesso. A gente vai vivendo. Vivendo e aprendendo.

Quando te conheci, achei que o mais provável, era não me apaixonar.

Você tem tudo. Tudo que eu nunca imaginei que a pessoa que eu queria que estivesse comigo para sempre, teria.

Você e esses seus chiliques emocionais que faz com que um dia lindo de verão, vire uma tempestade com direito a tornado e tudo mais.

Eu sabia desde o início que não deveria me prender a você. Eu vinha de uma relação nada agradável de se lembrar. Tive algo que nunca tive antes: medo.

Eu que sempre escrevo incentivando as pessoas a sempre acreditarem e a nunca perder a fé no amor, me encontrava preso. Sem saber pra onde ir ou correr. É. São mesmo ossos do ofício.

Quando me falarem de novo que nos apaixonamos pelas pessoas menos prováveis, darei razão.

Você chegou na minha vida assim. Sem bater na porta. Sem tocar a campainha e muito menos sem respeitar minha vontade de não querer me dar ao luxo de um novo amor tão cedo.

Quando percebi, já estávamos acordando juntos. Fazendo amor de manhã sem nem tomar café da manhã e dormindo de novo. Afinal, nossos fins de semanas têm sido assim. Nossas baladas são feitas com as batidas de dois corações que se enlaçaram e parecem não querer se separar um do outro.

Você ajudou no enterro dos meus medos. Ajudou-me a enxergar com clareza. Sim. Foi você. Você que me prendeu sem me deixar pra trás.

Pode até me vendar. Ao teu lado posso caminhar no escuro. Basta que me dê a mão pra tudo se tornar claro.

Um dia foi uma escuridão total, mas esqueceram de avisar pra ela que existe luz. E não. Ela não está no fim do túnel. Ela está no início. No início de algo bom. Algo que faz você acreditar que o mundo ainda está cheio de pessoas especiais, mesmo que as circunstâncias tentem cegá-lo.

Essa pessoa especial, pode estar aí do seu lado. No escritório. Na fila do pão. Do cinema. No banco da praça. No aparelho de musculação da academia ou até mesmo aí na tua sala de aula daquele cursinho chato que você vive resmungando pra acabar logo.

Não basta abrir os olhos. Pro amor ser visto, é preciso que se abra o coração. Se eu abri o meu, foi porque você me fez sentir seguro pra que isso acontecesse.

Por tudo isso que nos acometeu, eu escolhi ficar. Agora que eu entrei, pode fechar teu coração pro que foi ruim. Cuidarei muito bem dele. Prometo não te fazer nada além de bem.

Você já está aqui. Guardada do lado esquerdo do meu peito.

Para adquirir o livro de Flávio Jonatan, clique aqui em “Do amor e outras coisas”

COMPARTILHAR
Flávio Jonatan
Olá. Meu nome é Flávio Jonatan, sou um pisciano intenso com tudo que faço e me relaciono, e acima de qualquer coisa, acredita no poder do amor e qualquer outro sentimento afetivo positivo. Servidor público pelo estado de Minas Gerais, sou apaixonado pelo universo feminino, futebol, vinhos, cervejas e roda de amigos. Viagem comigo por vários sentimentos e lugares ocultos dentro de ti.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA