Não seja raso. A vida é mesmo profunda.

Pare de se sabotar! Há mil e uma possibilidades aparecendo no seu caminho todos os dias e você aí achando que não merece ou que vai dar tudo errado ou, nem percebe. Não adianta nada ter fé na vida e quando a sorte vem a seu encontro, você foge achando que ela não foi feita pra você. Sorte na vida azar pra quem fica. É importante saber reconhecer seus méritos e aceitá-los, deixar a oportunidade entrar e mover-se a ela, aprofundar-se nas experiências, gozar a liberdade de uma vida sem frescura – roubando descaradamente a frase do Jota Quest.

De que vale viver uma vida rasa, na superficialidade das experiências e não gozar dela por completo ? É importante chegar ao fundo do pote sem se sentir frustrado pelo o que não aconteceu. Esgote as possibilidades! Sorte é um presente sem merecimentos. Acontece, e você deve saber reconhecer. Ela pode estar escondida dentro de uma oportunidade como um bônus da vida por você ter tentado. Vai lá e arrisca!

Ainda reverberamos a frequência do medo que afeta diretamente todas as atuações do humano. Ele deixa de evoluir porque o medo paralisa o caminho da ascendência pessoal. Deixam de se entregar aos processos pessoais e amorosos por medo da rejeição, não mergulham nas oportunidades por medo de falharem. Você já experimentou tentar um dia de cada vez ? E quando o primeiro embate surgir, saiba transformar aquilo em aprendizado. Se não foi como pensava , repense.

Percebo certa resistência do humano em aceitar o novo e fazer dele uma nova opção. Entenda que existe um movimento natural e perfeito acontecendo diariamente. Tudo faz um grande sentido no final. Existe beleza e encantamento na vida. Perceba. Permita viver, se apaixonar, se aprofundar, mergulhar nas experiências que a vida oferece. Existe magia na evolução e sabedoria em cada vivência. Não seja raso. A vida é mesmo profunda .

COMPARTILHAR
Anieli Talon
É jornalista, e tem a comunicação como aliada. Atuou em Santa Catarina como locutora, apresentadora e repórter nas emissoras SBT e Band. Deixou o jornalismo junto com o estado para se dedicar a outra paixão. Atriz por formação, vive em palco e não dispensa um microfone como locutora e dubladora. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações.



DEIXE UMA RESPOSTA