Esperando o momento certo para dizer que eu também te amo

Deveria ser fácil como andar de bicicleta, algo que fazemos no embalo do momento, com medo, mas confiantes de que depois de alguns metros – de algumas palavras – encontraremos o equilíbrio. Deveria ser tão simples quanto olhar no fundo dos teus olhos e tão rápido quanto os dias que passamos juntos. O tempo voa quando estou contigo!

Você me pegou de surpresa. Suas palavras soaram como música e pude contemplar o seu rostinho tímido, agora meio cabisbaixo, balançando desajeitadamente para lá e para cá. Tão meiga quanto na primeira vez em que te beijei. O cabelo solto, dançando com o vento. O mundo ficou em slow motion. “Eu te amo”. “Te amo tanto”, completou.

Fiquei atônito, atordoado. Meu primeiro impulso foi te abraçar bem forte, te acolher em meus braços. Naquele momento pude sentir o quanto você desejava que as mesmas palavras saíssem da minha boca. Seria um momento mágico, ainda mais incrível do que foi, se eu estivesse pronto para dizer o que sinto. A sinceridade, uma das minhas maiores qualidades, acabou se revelando um ponto de fraqueza, de dúvida e insegurança.

Deveria ser tão fácil dizer que eu também te amo! Estou esperando o momento certo, mesmo sabendo que o coração não vem com manual de instruções ou tutorial de uso, então não me condene por não saber o que fazer a respeito, nem seja ingênua a ponto de pensar que não sinto nada – sinto tanto que chega a doer aqui dentro.

É, o texto está chegando ao fim e as palavras ainda não foram ditas. Estou esperando…

COMPARTILHAR
Valter Junior
Amante de café, boas ideias e mulheres de atitude. Adora conhecer pessoas, filmes e músicas novas. Fundador do Puta Letra. Pai de um livro, esperando o segundo bebê.



DEIXE UMA RESPOSTA