Assuma seu novo amor!

Às vezes acho que existe uma força que age diante dos engates de novos relacionamentos. Parece uma conspiração para que o casal não funcione, uma distração… ou quem sabe seria mesmo uma confirmação? Calma, eu explico.

Você já deve ter passado pela experiência de assumir uma única pessoa na sua vida, fechar as portas para novos contatos e preferir se relacionar apenas com “o escolhido” – (chamarei assim até o final porque acho mesmo que é isso).

Quando este entendimento é concebido e assim define-se o casal, é como se uma força agisse nesse momento e abrisse as portas do limbo, aparecendo, como que do nada, contatos novos e antigos, pipocando por todos os lados! É uma força tão descomunal que é possível até mesmo ressuscitar quem já partiu: Abre-se a tumba dos contatos mortos em vida que você até mesmo rezou na missa de sétimo dia e desejou nunca mais encontrar! Como lidar?

Abrir mão dos contatos é a primeira prova de que você está num relacionamento sério. Este deve ser basicamente o primeiro movimento a se fazer se você deseja mesmo assumir um lance sério com alguém e quer isso em troca. Não vale entrar na relação pra matar carência e deixar os “contatinhos” de stand by.

É importante mesmo fechar as portas e se sentir tranquila. Não é legal manter as aparências com alguém quando se está namorando. Ou você está com esse alguém ou está na curtição. É bom entender isso.Quando estamos mesmo apaixonados, esse movimento até se torna bastante natural, pois não desejamos outro alguém na vida a não ser “o escolhido” . É dele nossos pensamentos, vontades e planos. Nesse sentido, os contatos que ressurgem não serão mais prioridades. Digo MAIS porque certamente um ou outro aí já foi. Importante saber enterrar os mortos.

Mas é verdade que os contatos parecem sentir o cheiro de longe quando a agenda está fechada, quando a placa virou para “fechado”, né não? Fica como se fosse uma corrida para a desistência, de que haverá mais uma chance.

Você pode até ficar surpresa com as propostas que aparecem, até mesmo daquele contato que já estava lá embaixo da sua lista de conversas do whatsapp.

Nesse caso, seja sincera com você e honesta com “o escolhido”. Construa algo sólido, verdadeiro, sem mentiras ou falcatruas. É melhor começar sempre com o pé direito!

Fale logo, abra o jogo e conta o que está se passando, doa a quem doer. “Desculpa, mas não vai dar. Agora estou namorando”, e ponto. É isso menina! Sem muitos rodeios e explicações porque bem provável que nessa história de contatinhos você não deva nada mesmo a ninguém. É bom haver respeito, tanto do contato quanto seu com seu novo amor. Não vamos sacanear nem iludir ninguém, porque esse negócio de mexer com sentimento dos outros machuca de verdade.

Ser leal a uma pessoa é bonito, e acredito que você também quer isso de volta. Faça o que gostaria que fizessem com você. Se o outro não fizer, isso é problema dele que não soube ser de verdade. Mostre sua integridade.

Nada contra a amores livres, cada um faz da sua relação o prato que quiser comer. O importante é ser feliz. É bom existir o entendimento do casal, de como deseja levar sua relação.

Mas se no caso for mesmo uma relação “pinguim”, daquela onde há apenas um único parceiro pra dividir a vida, ser franco é sempre a melhor saída, pois não há nada que gaste mais energia que o tal do “rabo preso”, viver numa situação comprometedora e não ter sossego porque precisa vigiar o telefone pra não aparecer mensagem do fulaninho ou vigiar facebook pra não expor o segredinho… Que feio, que gasto de energia! É bom ser leve, ter consciência e mente tranquilas.

Nesse sentido, se assuma, assuma pros contatos, assuma pro mundo seu novo amor e sejam os dois muito felizes!

*Ah! Este texto também é dedicado aos homens que encontraram as suas “escolhidas “!

COMPARTILHAR
Anieli Talon
É jornalista, e tem a comunicação como aliada. Atuou em Santa Catarina como locutora, apresentadora e repórter nas emissoras SBT e Band. Deixou o jornalismo junto com o estado para se dedicar a outra paixão. Atriz por formação, vive em palco e não dispensa um microfone como locutora e dubladora. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA