Amor é laço, não nó

Sou a favor dos relacionamentos laços, daqueles que existe parceira, muito envolvimento, confiança e liberdade. Sim, liberdade! Do parceiro ir e vir, ter suas cias, sua vida em paralelo com a sua. Ninguém pertence a ninguém. Casal é soma, não subtração.

Li recentemente um artigo de uma garota dizendo que não namora porque ama a sua liberdade. Ora, se relacionamento é usurpar a liberdade então fiquemos solteiros para sempre! Ninguém quer perder seus movimentos porque está preferindo alguém na vida. Respeitar o espaço do outro, deixar este ser humano ser, e ter isso em troca une ainda mais duas pessoas afins.

Do contrário, vira uma relação de posse, dependência, cárcere e de um jogo emocional que anda na contramão do amor. Não há necessidade de privar o parceiro de suas atividades, dos seus hobbys e paixões. Casal que se ama e vive bem, se apoia, incentiva e não limita. Acho triste aqueles casais que só saem juntos, não fazem nada separado, que vivem de obrigações e permissões. Isso não é parceria, é medo, é dependência emocional. É preciso bom senso e tolerância.

Dos amores laço que devem viver os relacionamentos. Se apertar muito, vira nó! E nó em cima de nó vira um emaranhado difícil de desatar, sendo necessário arrebentar para não mais sufocar. Conhecer o tamanho da linha, aprender a desatar e saber como enlaçar faz toda a diferença.

Sempre que escolhemos estar com alguém, esta vontade parte de uma livre escolha, portanto, é deste princípio que a relação deve ser guiada, dentro do respeito e cumplicidade. Relação é união e não fusão e além disso não há necessidade de se acorrentar almas.

A individualidade é o nosso bem precioso, perder isso é abrir mão de quem somos. Desta forma não há encontro, não há reconhecimento do ser. Perde-se a espontaneidade, as paixões e no fim, ficam dois estranhos numa relação, se estranhando. Respeitar o outro ser humano é fundamental.

Isso significa amor incondicional. Amar um ser livre, sem posse, sem dependência que estão juntos pelos laços que os unem. Quanto mais liberdade na relação, mais preso a ela ficamos, por livre e espontânea vontade.

COMPARTILHAR
Anieli Talon
É jornalista, e tem a comunicação como aliada. Atuou em Santa Catarina como locutora, apresentadora e repórter nas emissoras SBT e Band. Deixou o jornalismo junto com o estado para se dedicar a outra paixão. Atriz por formação, vive em palco e não dispensa um microfone como locutora e dubladora. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações.



DEIXE UMA RESPOSTA