Só aceite o amor que tem a oferecer

Por Jaqueline Ruiz

Fazer as coisas sem esperar nada em troca pode até ser uma máxima significativa da vida. Porém, mais importante que se doar sem cobrar reciprocidade é respeitar tudo o que você construiu até aqui, se respeitar. Por isso, não aceite amor menor do que o que tem a oferecer.

Aceitar o que no fundo você sabe que não é o que deseja só gera frustração. Porque inconscientemente, você estará alimentando expectativas que o outro não tem a menor obrigação de cumprir já que o amor que ele manifesta é o que sabe oferecer. Você até pode influenciá-lo no aprendizado de um amor mais aprimorado, certamente a troca de experiências contribuirá de alguma forma na vida de ambos. Mas não viva esperando resultados imediatos. Nem espere que o amor que deseja receber dessa pessoa acontecerá necessariamente com você.

Tome por exemplo a relação de Tom e Summer, do filme 500 Dias Com Ela. Tom possuía conceitos diferentes de Summer sobre o amor e soube disso antes mesmo de se envolver com ela, naquela conversa de bar com os amigos. Mas talvez parte dele dissesse “Ela só pensa assim porque ainda não foi amada da forma certa” e resolveu insistir. Fascinou-se por ela em vez de pesar as formas diferentes que encaravam a vida e que culminariam no fim do relacionamento.

Mas para que pensar isso logo no início do relacionamento? Você só sente a urgência em conhecer o mínimo do outro até que possa experimentá-lo e viver a paixão que tem imaginado há tempos. Só mais tarde você sente tudo o que ignorou pesar sobre a relação de vocês.

Discordo de quem demoniza a Summer, como se o Tom fosse a vítima de um amor idealizado que não se concretizou com perfeição. Ela não deveria suprir as expectativas de ninguém. Faltou acordo sobre o que ambos buscavam para as suas vidas. Ele tinha planos maiores para o amor que viviam e que achava que aconteceriam porque tudo caminhava bem. Mas as ideias, as concepções e visões de mundo diferentes continuavam ali. Mas não é o tipo de coisa que você se preocupa quando está abraçado a alguém, não é? O afeto cega.

Então, quando Tom vê que tudo o que ele esperava de Summer foi cumprido, mas com outro cara, ele se enche de raiva. Porém, ele a havia aceitado no início, quando sabia que o amor que tinham a oferecer um ao outro seria incompatível em algum momento. Foi concessivo nos seus sentimentos, justo no que não deveria ser. Talvez ele tenha se contentado com o presente como o melhor que poderia ter dela naquele momento, mas com a expectativa de no futuro as coisas serem diferentes.

E foram. Mas para ela, que mudou. Imprevisível e inevitável. Porém, ainda que tenham rompido, estou certa de que o tempo que passaram juntos influenciaram suas vidas. Quem sabe, não fosse o encorajamento da Summer, o Tom não teria corrido atrás do sonho? Ou o tempo com o Tom que teria mudado em algum nível a forma da Summer pensar sobre casamento?

A verdade é que tentar não ser concessivo sobre os nossos sentimentos e o amor que pretendemos doar e receber é só mais uma forma de evitarmos a frustração. Mas não é garantia de nada. Podemos achar que estamos no controle da forma em que administramos o amor, quando não estamos. No entanto, ainda vale a pena ser mais consciente quando se trata de se relacionar com outro ser humano cheio de complicações e complexidades, tal como você.

Fonte indicada: Medium

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA