Que tipo de relacionamento você quer?

Por Giseli Rodrigues

Muitas pessoas afirmam que querem um amor e não conseguem encontrar. Afirmam que ninguém quer compromisso, que todos estão atrás de sexo casual e algumas horas de companhia. Dizem ainda que os novos tempos prejudicaram aqueles que sonham com um relacionamento duradouro. São tempos de amores líquidos, afirmam os desolados.

Vivemos a certeza de que nada é permanente e podemos fazer escolhas a todo o momento. O que inclui mudar de parceiro. Ou não ter ninguém. Ou ter vários. Com a vantagem de que hoje nada disso é errado, afinal ouvimos a todo tempo que somos protagonistas de nossa própria vida e precisamos nos responsabilizar por ela. A vida é nossa. E hoje em dia, ao menos teoricamente, podemos amar da maneira que nos dá vontade.

Há aqueles que gostam de se sentir desejados, constantemente apaixonados, e pulam de paixão a paixão, colecionando histórias de amor. Há os tranquilos, que veem mais sentido em relacionamentos duradouros, não temem a rotina e não fazem questão de parecer desejáveis para qualquer um. Basta ser para aquele que ama.

Nenhuma das pessoas está errada. Cada um tem um jeito de ser e, consequentemente, uma maneira de se relacionar com o outro e viver suas relações amorosas. Errado é ser de uma maneira e querer ser de outra. Ou querer que o outro seja do seu jeito. Se você é tranquilo, quer um amor sereno e se apaixonou por alguém que vê mais sentido em acumular conquistas, por exemplo, irá sofrer. Se você adora colecionar conquistas e se apaixonou por alguém que deseja um amor para repousar, terá problemas também.

Portanto, antes de afirmar que não existe a pessoa certa para você, que hoje em dia ninguém quer nada sério, que é tudo fácil demais e as pessoas optam por viver amores fugazes, responda: que tipo de relacionamento VOCÊ quer? Não se preocupe com o que desejam os outros, pense no que te faz feliz.

Pode ter certeza de que existe sempre alguém que deseja o mesmo que você e, em algum lugar, também está praguejando que nos tempos de hoje ninguém quer o mesmo que ela. E quer, sim. Porque tem sempre quem queira. Porque o mundo é múltiplo, diverso, rico, cheio de gente diferente. E também de gente igual a você.

Não adianta perder tempo com alguém que não liga no dia seguinte, faz charme, é conquistador, sai com uma pessoa a cada dia, se você deseja a sorte de um amor tranquilo. Não adianta insistir na pessoa que liga, quer apresentar a família, está cheia de planos, se você não deseja mais do uma boa companhia e sexo casual. Não adianta sonhar com um relacionamento monogâmico se a pessoa por quem se apaixonou deseja um amor livre.

Até mesmo quando se trata das coisas do coração precisamos fazer uso da razão e pensar, conscientemente, no que nos faz feliz e no que estamos dispostos a dar e receber. Porque, acredite, sempre tem quem queira receber o que temos para dar. E se você não encontrou até hoje deve estar desperdiçando energia com quem não está na mesma frequência.

Amor é troca, é parceria, é convivência e, sobretudo, é escolha. E com milhões de pessoas que existem neste mundo há de existir alguma que caiba dentro do seu mundo particular. Mas, antes disso, responda mais uma vez: que tipo de relacionamento você quer?

Fonte: Amor Crônico

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA