Não diga que sente saudades, diga onde e quando nos vemos

Por Aran Andrade

Título original* Não me diga que você sente saudades de mim, me diga onde e quando nos vemos

Não serve dizer que sente saudades de mim, que gosta de compartilhar seu tempo comigo, que preza os momentos que passamos juntos, que faz tempo que não nos vemos. Diga onde e quando nos vemos. Suas palavras ficarão vazias se você não me der um pouco do seu tempo.

Se você não consegue achar nem um momento para compartilhar comigo, talvez você não sinta saudades de mim, talvez tenha decidido continuar a sua vida e esquecer da amizade ou do amor que nos uniu. Se você não é capaz de me dedicar um instante, não diga que sente saudades de mim, porque isso não é verdade.

“Não sei por que, mas hoje estou sentindo a sua falta, por valorizar a sua presença, alguém disse que o esquecimento está cheio de memória.” – Mario Benedetti –

Eu valorizo você

Você fez parte da minha vida, e mesmo que você já não esteja ao meu lado, mesmo que o nosso relacionamento já não seja mais o mesmo, não posso evitar sentir saudades, lembrar como foram esses dias que compartilhamos e que não voltaremos a desfrutar, mas podem ser outros dias, outros momentos que criaremos juntos.

Sinto saudades do jeito de você me olhar quando sabia o que eu estava pensando, quando estava chateada e você já sabia o motivo. Sinto saudades de dizer boa noite mesmo que você estivesse a milhares de quilômetros e que para você ainda fosse dia.

Adoraria vê-lo novamente, porque mesmo que tenha passado muito tempo, eu sempre pensei em você, e tenho vontade de te olhar nos olhos novamente e saber que você sempre esteve perto, que também pensou em mim, que se preocupou com o meu bem-estar.

Aprender a superar as saudades

Sentir saudades é um sentimento muito humano e pode acontecer em muitas situações. Podemos sentir saudades de um amigo que foi morar em outro país, porque deixaremos de compartilhar muitas coisas, mas nos alegraremos que ele seja feliz e siga seu caminho. É possível que o relacionamento mude, mas se o contato se mantém, a amizade irá perdurar.

Quando vivemos uma ruptura amorosa, é normal passarmos de um estado inicial de rancor para com a outra pessoa, a outro momento no qual talvez exista a tendência de idealizar a relação que passou e a outra pessoa. Mas é necessário superar a nostalgia e pensar que se essa pessoa já não deseja mais estar em nossas vidas, será melhor respeitá-la.

“A pior forma de sentir saudades de alguém é estar sentado ao seu lado e saber que nunca poderá ser seu.” -Gabriel García Márquez-

Mas também podemos sentir saudades de pessoas que tenham falecido, ou mesmo da própria infância ou de lugares que um dia visitamos e não voltamos a ver porque talvez desapareceram, mas perduram na nossa memória. São lembranças bonitas que guardamos, e essa sensação de nostalgia enche a memória de lembranças agradáveis.

Mas essa nostalgia não pode sempre fazer parte das nossas vidas, porque é preciso continuar apreciando cada coisa pequena da nossa existência aqui e agora. A nostalgia se supera ocupando o tempo, desfrutando das pessoas que gostam de você, das coisas que fazem você feliz. Pense em todas as coisas boas que você tem na sua vida, em tudo o que você aprecia e em todas aquelas pessoas que estão ao seu lado, que realmente fazem você sentir saudades.

Escreva em um papel cada dia tudo de bom que lhe acontece, tudo o que faz você feliz, para lê-lo e relembrá-lo quando você se sentir abatido. Não deixe que a tristeza o invada, saia de casa e aproveite a sua vida, que é única. Esqueça quem esqueceu de você, e não dê o lugar preferencial a quem não o merece. Um amigo ou um companheiro que realmente sente saudades de você irá procurá-lo.

Diga onde e quando nos vemos

Não importa que seja um instante ou vários dias, me diga onde e quando nos veremos e lá eu estarei para compartilhar um tempo com você. Se você me procurar, se me escrever, se quiser saber de mim, como eu o faço, então saberei que você realmente sente saudades de mim, que o tempo carece de importância, que foi apenas um lapso que já superamos com nosso carinho e nosso amor. Diga onde e quando nos vemos. Me diga um lugar e uma hora e eu irei encontrar você para olhar nos seus olhos novamente e saber que você sempre esteve ali.

“Quando a gente chacoalha a gaveta das lembranças, são as lembranças os que acabam por nos chacoalhar.” – Andrés Castuera-Micher –

Fonte: A Mente é Maravilhosa

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA