Me dê um beijo com gosto de eternidade

De você eu não quero um beijo qualquer. De você eu quero um beijo que venha com o presente de um sorriso de alivio por matar o desejo, acompanhado de um selinho, que traga – em uma mensagem criptografada – a resposta de que o melhor momento da vida ainda não acabou aqui.

Porque há beijos que são incompletos e outros que vêm com tudo o que se tem direito, e desses nós mesmos podemos nos presentear. Há beijos que são duas bocas, outros são duas almas. Me beija, me chupa, me morde, me faz perder o sentido, mesmo que, fazer sentido neste instante seja tudo o que eu procuro em você.

Me dê um beijo que faça o outono do meu coração virar primavera, e do inverno do meu corpo um verão. Me dê um beijo que seja fogo, daqueles que não matam a fome, mas abrem o apetite. Um beijo que seque a boca e me faça ter sede de você. Quero te beijar até sentir o gosto da tua alma.

Pois os beijos que eu quero te dar, não são apenas beijos de tesão. Há beijos que são pedidos de passagem e outros pedidos de perdão. Há beijos que são exercícios da boca e outros que são procuras de carinho e de atenção. O beijo que eu guardo para você tem gosto do desejo de um amante, mas com a intimidade de um amor.

Me dê um beijo que dure para sempre, mesmo que esse para sempre acabe amanhã de manhã. Porque nem sempre a ultima boca que beijamos é o beijo que queremos guardar, já outras vezes a vontade ainda existe quando o momento já acabou. E assim somos obrigados a conhecer novos beijos.

E há tantos beijos que não precisávamos ter dado e tantos outros que ficamos com vontade de dar e nunca aconteceram, mas melhor assim, porque na imaginação a imperfeição não tem vez para se mostrar. Meus melhores beijos eu não dei e os meus melhores amores ainda não amei.

Mas por você eu deixo a deficiência de um beijo vivo tomar conta, e faço do instante imperfeito, a imperfeição mais linda que eu já vivi. Me dê um beijo que deixe saudade, e que a saudade dure uma vida inteira. Porque desses beijos com gosto de ressaca eu tive todos e até hoje não senti falta de nenhum.

Me dê um beijo com gosto de eternidade, de felicidade, me faça ir ao céu e ficar no paraíso, sem sair da sua boca, sem sair para lugar algum.

COMPARTILHAR
Francisco Galarreta
"Empresário, 26 anos, peruano, mas gaúcho de coração. Meu fascínio é observar as pessoas e compreender os sentimentos alheios. Sofro de empatia crônica e sou adicto em criar emoções. Como resultado destas características, nascem inúmeros textos sobre amor, relacionamentos e outras variáveis."



DEIXE UMA RESPOSTA