Juntos somos oceano

Atravessei o rio inteiro sem medo, pois sabia que você estava lá. Você sempre está em todo lugar que estou, ainda que não seja de corpo físico. Estamos conectados pelo coração, órgão máximo da vida. E essa fonte indestrutível de afeto que nos guia e só nos leva para frente é o combustível da embarcação, – que nos faz voar o mundo sem sair do lugar.

Nossos laços sobrevivem ao tempo, pois sabemos que tempo é só uma questão de matemática para quem ama. Não desenhei você, muito embora tenha noção exata da sua perfeição. Ainda que os momentos mais chatos tirem tua doçura, é na construção da obra que a gente termina o dia.

Bota tijolo, pega mais cimento, tapa o furo da parede, passa brilho no teto e nossa casa vai se montando inteira como um castelo feito peça por peça. Se o chão está sujo: limpamos. Se manchou o tapete novo: lavamos. Se não concordamos com a cor do sofá: escolhemos outro tom.

Aceitamos os desprazeres, pois deles também é feita a vida. Que delícia enxergar você com todos os desafios que possui para se tornar um ser humano melhor, e te amar ainda mais por isso. Que benção poder ver em você a força que preciso para superar meus obstáculos e também me tornar uma pessoa melhor.

Já sabemos que juntos somos a melhor versão, mas nos damos as mãos para que saibamos o que é preciso modificar como indivíduos. E a gente muda mesmo. E cresce. E enobrece. E erra de novo. E cai duro no chão. E levanta duas, três, oitenta e nove vezes.

Cair já não é mais problema, né? Nosso negócio é levantar mais forte, afinal de contas, guerreiros sabem como é bom voltar para casa com a cabeça erguida e a bagagem mais leve.

Somos pedreiros da nossa obra. Vez ou outra derrubamos janelas, quebramos portas e os vidros se esparramam todos pelo chão. E a gente dá um jeito, pois o importante é que o jardim esteja florido, que as novas sementes estejam plantadas e que não falte adubo para renovar e alimentar a terra.

Que flor bonita você é, meu amigo. Que aroma incrível você doa generosamente ao meu espaço nesse quintal. Nossa casa tem árvores que alimentam um negócio bonito chamado alma. E por falar nisso, olha só, nunca te disse, mas essa é a parte mais incrível em você: a sua alma.

“Amigo é casa”, cantou alguém. E a nossa tem as portas coloridas da alegria, as janelas arejadas pela brisa, a música mais animada, a gargalhada mais bem dada e os sonhos tão vivos quanto a vontade de sonhá-los.

Eu sou mar nessa vida.

E ao teu lado, oceano.

COMPARTILHAR
Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Não estou muito preocupada com meus créditos, eu quero saber mesmo é do que me arrepia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.



DEIXE UMA RESPOSTA