Eu não preciso te esquecer

Por Thainá Perrenoud

Tentei. Tentei passar pelos caminhos que fizemos e andar no meio fio da calçada sem me lembrar do seu sorriso bobo enquanto observava minha alegria em ficar mais alta que você- mesmo que por alguns segundos.

Tentei ignorar os comentários sobre minha péssima ironia ou de como adoram distorcer algo que digo, só porque normalmente eu solto mesmo umas frases sem sentido algum. Quis ignorar não porque me incomodavam de alguma forma, longe disso. Mas é que esses comentários bobos eram frequentemente seus e do nada, não eram mais. Ta aí um vácuo que me incomodava muito mais que mensagens não respondidas.

Tentei também não dar continuidade naqueles seriados que insistia em sempre querer me dar um spoiler e não repetir os filmes já repetidos milhares de vezes. Passei bem longe de cachorros pretos e bolo de cenoura- que sua mãe perfeitamente fazia e, me afastei das suas quedas musicais por Justin´s e qualquer musica que tenha tentado deixar o refrão na minha cabeça- Cara, aquilo grudava pior que chiclete em mesa de sala de aula.

Eu realmente tentei tirar seus olhos claros do meu cotidiano e de qualquer mico que eu fizesse alguém passar por uma atitude minha qualquer- proposital, é claro! Mas falhei. Parei. Parei de tentar, em partes, porque nunca quis te esquecer, era apenas uma válvula de escape pra não continuar encontrando pequenos espaços da sua ausência em cada detalhe que se fazia presente.

E, em partes, porque me afastar de você, me afastava também de boa parte de mim e, me perder, é um risco que não quero correr. Certos esforços, são como deixar uma porta aberta e esperar que ninguém entre, totalmente em vão.

Fonte: Puta Letra

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



2 COMENTÁRIOS

  1. Perfeito Thainá, “em partes, porque nunca quis te esquecer, era apenas uma válvula de escape pra não continuar encontrando pequenos espaços da sua ausência em cada detalhe que se fazia presente. E, em partes, porque me afastar de você, me afastava também de boa parte de mim e, me perder, é um risco que não quero correr.”

DEIXE UMA RESPOSTA