Você é do caralho

Por Márcio Rodrigues

Você precisa acordar amanhã sabendo disso, pois é a maior roubada esperar que te digam. Você é do caralho. Seus amigos te acham do caralho. Sua família se orgulha de você ser uma pessoa do caralho. Mas não é desse jeito que a gente fica sabendo disso, né? É.

Ao mesmo tempo que temos uma tendência a piorar as coisas ruins – ou problematizar dias tristes -, também existe uma certa dificuldade nossa em aceitar o melhor que somos. É só alguém te elogiar que lá vai você rejeitar inventando uma saída. “Que camiseta legal!”, “Ah, é velha e tal, comprei na loja x”. NÃO CARA, ACEITA QUE SUA CAMISETA É LEGAL. A gente estranha elogios, a gente estranha quando alguém olha a gente de um jeito bom.

Só que isso não diminui o fato de você ser uma pessoa do caralho.
Vou te contar que amor nenhum vai te dar essa certeza. Saia dessa furada de acreditar que para se sentir bem é preciso ter outro alguém. Para se sentir bem é preciso apenas que tenha a si mesmo – se um dia rolar de alguém aparecer, show! Se não, show também! – A vida vai seguir. É preciso que lembre do bem que já fez e do que ainda pode fazer.

É bobagem também você se diminuir no trabalho.
Dificilmente algum chefe vai te chamar e dizer: “Viu, só te chamei para te lembrar que você é um profissional do caralho! Obrigado por tudo!”. Não entre nessas. Não é para esperar que as pessoas reconheçam quem você é, é para que faça o que gosta de fazer de modo que todo mundo vai ser obrigado a perceber como você faz bem, isto é, como você é do caralho. Sua viagem sonhada não chegar pelo correio, é preciso muito perrengue de segunda a sexta para justificar.

Queria dizer algo do tipo: “Você é legal”, “Você é especial” ou coisa que o valha, mas nada teria efeito melhor que “Você é do caralho”. É tipo aquele exemplo: “o amor é importante” que é legal de legal de ler, mas “o amor é importante, porra!” é mil vezes mais legal.

Entendo você. A gente esquece de lembrar que gostamos da gente. Volta naquela tendência em nos diminuirmos – uma bobagem sem tamanho. É sim para você colocar uma roupa que gosta amanhã e esbanjar o seu melhor por onde andar. Aceite os dias ruins, mas acredite nos dias bons.

Uma pessoa confiante é uma pessoa invencível.

E confiança se passa pelo sorriso, pelo caminhar, pelo pedido de desculpas, pelo desejo de amor e pela esforço por sucesso. Confiança é acreditar que a sorte é resultado do seu esforço e que a sorte é sua por acordar com você mesmo todos os dias, e que se um dia aparecer alguém para dividir a cama, sorte desse alguém também. Mas que se esse alguém for embora, você vai continuar sabendo que é uma pessoa do bem, confiante e dedicada. Ou melhor: uma pessoa do caralho. Você sempre será sua melhor companhia.

Mas deixa eu falar, cuida dessa sua vida, viu?
Quando você acha que fez de tudo para ser feliz lembre-se que não fez nada do que pode fazer ainda. Horóscopo sempre, mas livro que é bom você raramente lê, né? É preciso enriquecer a alma para sentir melhor o sabor da felicidade e da completude espiritual. Que papo good vibes, né? O ponto aqui é um só: se você não cuidar do seu corpo e da sua alma, ninguém fará isso no seu lugar.

E a gente não precisa ser feliz para esperar alguém chegar e completar, a gente precisa ser feliz para nós mesmos por completo.
Da manteiga na fatia do pão, até a noite de tesão, lembre-se todo dia e se preciso for escreva no espelho: você é uma pessoa do caralho.

Via Um Travesseiro Para Dois

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA