Terminar é importante

Por Chico Garcia

Uma das coisas mais difíceis da vida amorosa é terminar uma relação. Abandonar aquele corpo, a rotina que acalenta, dar Adeus ao bom dia que parecia eterno. Mas às vezes é necessário.

Insistir em um relacionamento que atravessa maus momentos é louvável. Num mundo descartável, é preciso tolerância para não romper na primeira briga. As diferenças são constantes e é complicado perceber que não vamos achar alguém que seja igual a gente. Ainda bem. Compreensão para manter um laço é admirável, mas estender o sofrimento é um erro que pode custar caro.

Nunca saberemos se é a pessoa certa, se será possível recomeçar. Muitas pessoas se questionam devido à idade, fase da vida ou status financeiro. “E se ninguém mais me quiser? Estou ficando velha! Não vou encontrar alguém legal! Serei a tia dos gatos ou o bom vivant sem família.” Pare! Simplesmente pare! Nada pode impedir você de ser feliz a não ser você mesmo. E depositar a responsabilidade disso em qualquer outra pessoa é se amar de menos.

Terminar uma relação que não lhe faz mais feliz é importante para que haja a possibilidade de você sorrir novamente, inclusive com aquela mesma pessoa. No afastamento por vezes percebemos a falta que ela nos faz, o quanto podemos admitir aquelas falhas, superar percalços, pois a vontade de estar junto é maior do que qualquer coisa.

A superação é delicada. Impossível não doer, mas sofrer é por sua conta. A vida está lá fora esperando você, mas de cabeça baixa não irá enxergar um horizonte cheio de possibilidades. Seja com quem quer que seja, com seus gatos, cachorros ou rindo de si mesma, dos seus romances favoritos esperando viver o seu mais uma vez.

A decepção cria marcas, mas nos prepara para o novo. Estaremos mais maduros, prontos para o que vier, em todas as dificuldades e dissabores, mas também com a palpitação de descobrir uma nova paixão. E não tem nada melhor do que se apaixonar. Pela vida, por uma viagem, por novos amigos, por uma vida que pode simplesmente recomeçar a qualquer instante. Você é responsável pela sua felicidade e o mundo está aberto para você vivenciar inúmeras situações pela primeira vez, mesmo que já tenha vivido, de fato. Será sempre uma sensação inédita, com frescor de um novo olhar, um novo momento.

Termine, recomece. Se preciso, volte. Finalize o que lhe incomoda, assuma o que você gosta e viva. Acorde para descobrir o que ainda lhe falta e deguste o melhor de ser quem você é. O mundo está aí, vai deixar ele escapar?

via cronicasdochico

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA