Se você se sente só…

Por Matheus John

Sabe aqueles dias em que as horas parecem não passar, tudo se torna sem graça e a gente se sente sozinho? A única coisa que queremos é ficar ali, assistindo uma série na Netflix enrolado no cobertor. A gente desliga o celular e tenta esquecer de tudo. Você não é o único que se sente assim. Estimativas apontam que o sentimento de solidão aumenta gradativamente. As pessoas se queixam da falta de tempo, da ausência daqueles que amam, da falta de sentimentos e dessas instabilidades dos relacionamentos.

Faça a experiencia de ir até uma praça e apenas visualizar as pessoas que la estão. Em qualquer lugar do mundo, você vai encontrar pessoas andando de um lado para o outro sem saber para onde ir. Estamos sempre em movimento, em busca de algo que ainda nos falta. Um dos pontos mais interessantes e tristes ao mesmo tempo, é perceber o quanto estamos frios, o quanto imagens absurdas se tornam normais, como por exemplo, a fome. Reduzimos nossa existência a números, nos iludimos com as redes sociais’.. 2 mil amigos e ainda assim nos sentimos só? Algo está errado!

Temos tão pouco, mas ao mesmo tempo temos tudo. Parece que estamos cegos para as coisas, tão cegos que por alguns minutos esquecemos de dar valor as coisas que nos fazem tão bem, e quando paramos para notarmos isso será tarde demais. Basta olharmos à nossa volta e percebemos através de pequenos detalhes, pequenas coisas que nos cercam e pequenos gestos que significam tanto, que elevam nossa alma e trazem paz ao coração. Basta olhar tudo com um pouco mais de calma e repararmos que nessa terra de gigantes o que vale são as coisas pequenas, as coisas simples. Um sorriso, uma palavra, qualquer gesto por menor que seja para nós, talvez será o único gesto no dia de alguém. Passamos a vida esperando por isso, esperando por algo tão singelo, mas que talvez nunca chegue, uma mensagem inesperada, ou um “sinto sua falta”, ou até mesmo um “eu te amo”. Nossa vida é feita de sonhos e são eles que acalentam nossos dias, são eles que tornam a vida mais simples, mais fácil, fazem da nossa vida um conto de fadas, que desejamos um final feliz mas que sempre esquecemos que pra isso acontecer só depende exclusivamente de nós e sempre colocamos nossos sonhos e nossa felicidade nas mão de outras pessoas, que sempre nos ferem, nos magoam, que acabam com nossos sonhos, com nossa felicidade e com nosso “final feliz” até termos forças para levantar e reconstruir tudo novamente, e assim sempre será, esse ciclo incessante da vida.

via Demasiado Humano

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA