Quando ela decidiu seguir em frente

Por Fernando Suhet – via Tempo de Amor

Ela não sabe o preço da culpa que carrega calada por erros que nunca foram dela. Ir embora talvez tenha sido uma das melhores coisas que ele fez no tempo em que estiveram juntos. Ela se martirizou por um tempo. Não conseguia aceitar. Sempre procurava por respostas para as perguntas que a vida acabou colocando na sua frente. Não comia direito. Não tinha vontade de ver ninguém. Aquela roupa que ela sempre amou, nunca mais quis vestir. Seu quarto escuro e as lágrimas, quando procurava nas redes sociais um motivo a mais para despedaçar seu coração, eram suas novas companhias.

O culpado: Ele.

Ele que quis jogar tudo para o alto. Ele que nunca soube direito o que queria da vida. Ele que nunca soube viver sozinho, e muito menos junto com uma pessoa tão incrível quanto ela.

Ele que sempre falou da boca pra fora que a amava. Ele que sempre manteve outras prioridades à frente dela. Ele que mentiu quando se encontrava com a ex, enquanto ela remava o barco pelos dois.

O que faltava de amor dele por ela, sobrava nos amigos que ela conquistou no seu caminho. E foram neles que ela encontrou força para seguir em frente. A cada amanhecer ela se sentia mais segura. A cada anoitecer um agradecimento de joelhos à beira da cama por nunca ter desistido de si mesma. A cada lembrança dele, um sorriso no rosto pelo amor próprio ter vencido mais uma vez.

E só uma palavra resume tudo: Obrigado.

Obrigado por fazê-la enxergar o quão grande é esse mundo, e o quão pequenas são algumas pessoas. Obrigado por deixar que ela seja passageira e comandante do seu barco rumo à felicidade. Obrigado por dá-la a oportunidade de esbarrar no destino de um outro alguém que irá chamá-la de “minha”, enxergando o que ela tem de mais lindo e fazendo tudo aquilo o que você não soube ou não quis.

Obrigado por mostrar a ela que é sempre possível recomeçar, de um jeito novo e muito melhor.

Ele a procurou. Nos seus pensamentos e nas lembranças de dias melhores que ela sempre acreditou pelos dois. Nos carinhos e caras que ela fazia para mostrar que viver uma vida a dois exige intimidade e cumplicidade. Ele se deu conta que lá fora você encontra muitos amores, dentre eles os que duram apenas um dia ou uma simples festa em um fim‑de‑semana, mas nunca o amor que ele encontrou nela.

Ontem ele mandou uma mensagem dizendo que sentia falta dela. Ela sorriu, e apagou. Continuou indo para frente sem vontade nenhuma de olhar para trás.

Me desculpe, ou não.

Mas tem coisas na vida que a gente só erra uma vez.

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA