Pare de achar que o amor não é pra você

Por Luiz Menezes

Ok, se você clicou nesse texto, provavelmente foi porque: 1) você já sofreu alguma desilusão amorosa ou 2) você não viveu nenhum tipo de experiência amorosa at all.

Mas, independente do seu background de amor, o importante é que se você clicou nesse texto, temos uma coisa em comum: você ainda tem esperança. Você já deve ter dito ou compartilhado um link qualquer coisa no Facebook sobre como o amor é impossível, e não existe, e não vai acontecer com você, e você vai morrer sozinho com treze gatos e um aquário de peixes mortos, e nenhum cara te quer porque eles são todos iguais. E, mesmo assim, você veio até aqui. Então, leitor, vamos lá.

O amor é pra você sim.

O amor é difícil. Ele não é um sentimento que vai nascer só porque você gosta daquele cara e acha que ficariam lindos como casal numa foto de Instagram qualquer. O amor é um sentimento que demanda tempo, carinho, água e luz do sol. E só assim ele cresce.

Você só vai estar preparado para amar alguém quando você descobrir que não precisa amar alguém. O amor só surge quando você pode transbordar coisas boas; quando, inteiro, você sabe que poderia abraçar as causas e as calças de um outro alguém.

Além disso, para amar é preciso entender que o amor existe nas horas fáceis e nas difíceis. É muito mais simples dizer “eu te amo” numa terça à noite, embaixo das cobertas, com uma série qualquer do Netflix passando e os pés de vocês dando nós de aconchego.

Diga eu te amo depois de uma briga. Diga eu te amo quando o ciúmes dele te fizer chorar. Diga eu te amo quando ele esquecer uma data. Diga eu te amo depois de você o xingar sem pensar.

Diga eu te amo para todos os defeitos do outro.

E pronto, esse é o amor.

Você vai amar alguém que, além de qualidades maravilhosas, terá defeitos. Mas, preste atenção: você só conseguirá amar alguém quando estes defeitos forem completamente suportáveis pra você – se não, a relação fica insustentável.

Se, por exemplo, ele não gosta de dançar, e você adora se divertir nas noitadas com seus amigos, saiba que, cedo ou tarde, isso vai pesar para um dos dois lados.

E nenhum relacionamento é construído em cima de apenas uma pessoa, sozinha. Não se doe se ele não se doa de volta. Ceder é normal; ceder sempre é errado. Reconhecer o que você pode mudar em você ou deixar de fazer para a felicidade do outro só é justo e necessário quando o outro faria o mesmo por você.

O amor não é sacrifício; ele é compartilhamento.

Quando o amor chegar pra você, ele vai gostar de você do seu jeito. Ele não vai querer que você mude – ele até pode querer que você passe um sábado em casa, mas vai entender que você quer sair em todos os outros.

E, quando o amor chegar, correr atrás vai ser parte. E não “fazer papel de trouxa”.

Ninguém demonstra demais ou de menos em um relacionamento; o amor acontece de igual pra igual. De coração pra coração. E, se ele quer ficar, ele fica. Se ele quer falar, ele fala. Se ele quer mandar mensagem, ele manda.

Quando você se acha trouxa por demonstrar demais qualquer sentimento que seja, você está sendo fraco.

Ser trouxa é não demonstrar, é fazer joguinho, é esperar ele responder a mensagem.

Ser trouxa é esperar que o amor caia do céu.

Se ele não se importa quando você fala, não se sinta culpado. Aliás, nunca se sinta culpado por aquilo que você sente. Sentimentos são reais, existem e percorrem suas veias – só você vai conhecê-los. Então diga. Sinta. Não tenha vergonha.

E não peça desculpas por amar alguém ou por sentir qualquer coisa que seja – mesmo que essa coisa seja indiferença, falta de amor, ou preguiça.

O amor só não vai acontecer pra você se você continuar aí, sentado, esperando que ele apareça do nada enquanto você continua a compartilhar textos que só atraem mais energia negativa e te afastam de quem você é. Você é uma pessoa única – eu sou uma pessoa única. Nenhum dos meus defeitos estarão em mais ninguém; e nem as minhas qualidades.

Eu estou aqui, para o amor. E, se aquele carinha não enxerga em você o que você mesmo sabe que tem, não abaixe a cabeça.

Ele pode até te procurar por aí, em outros timbres e outros risos (parafraseando uma das minhas cantoras favoritas), mas ele nunca vai te encontrar.

Porque você é uma alma única. E, o amor, quando surgir, vai te trazer uma alma tão única e especial quanto você.

Seja você, e se ame. Ame. Ame o mundo.

Porque, um dia, o amor vai bater à sua – à nossa – porta novamente.

E vai ser lindo.

via Tempo de Amor

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA