Mania de amar quem não retribui

Por Tatielle Katluryn

Ela era medrosa. Um dia desses imaginou que talvez a pessoa certa já tenha aparecido e por medo de acabar sofrendo, antes mesmo de ter dado uma chance, ela o mandou embora. Ou talvez essa pessoa ainda fosse aparecer e ela estivesse tão machucada ao ponto de se fechar totalmente para a simples menção da palavra amor, que o rapaz sem culpa de nada desistiria sem ter conseguido se defender daquilo que os outros fizeram.

Ele encontraria a porta trancada, o jardim com flores mortas e uma placa de “Vende-se”. Daria meia volta e se perguntaria o que fez de errado já que por toda a vida havia a esperado e justamente no momento certo ela sumiu dentro da dor que carregava. Mas ela só queria se proteger. Nem lutadora de boxe ela era e vivia dando socos nas ilusões e levando chutes das mentiras.

Era angustiante vê-la com o sorriso desfeito quando o suposto cara certo não havia elogiado a roupa que ela escolheu justamente para chamar a atenção dele. Ela tinha mesmo essa mania de se arrumar para o cara. Botava seu batom vermelho, passava bastante rímel e sorria tanto que sua boca parecia tomar conta do rosto inteiro, fingindo alegria enquanto uma nevasca tomava o lugar do tal frio no estômago.

A menina tinha sua beleza própria e já pensou em muda-la só para agradar o cara errado, sendo que o cara certo irá ama-la do jeitinho que ela é. Ela poderia ficar tão diferente para atrair o errado que o cara certo nem a reconheceria e passaria sem ao menos percebê-la. Que tragédia seria!

Se ela ao menos começasse a entender que enquanto não se valorizar ninguém dará o devido valor a ela. Que precisa amar quem é independente do que o cara errado fala, porque ela é linda sim seja com seus quilos a mais ou a menos, cabelo arrepiado, sem maquiagem e com aquele humor de TPM na segunda-feira de manhã.

Ela pode sim ser chata ás vezes, ou na maior parte delas, querer contar seus segredos estúpidos, suas vontades malucas, seus sonhos esquisitos. Ela merece alguém que se interesse por essas coisas que só ela mesmo para encontrar um sentido. Ela tem que ser ouvida atentamente e consolada quando preciso, rir junto nas horas felizes, é disso que ela sente falta, mas infelizmente está procurando nos lugares indevidos.

Nunca se poderá ser feliz ao lado da pessoa errada, e ela fica teimando em dar seu melhor para o primeiro que lhe dá o mínimo de respeito e carinho. Sua vontade de ter alguém é tão absurda que ela inventou um primeiro amor, que nunca chegou na verdade, ele só está esperando a permissão de Deus para aparecer naquele momento inesperado e deixa-la com um sorriso bobo.

Que ela procure ter mais paciência, mais amor por si própria, mais realismo para abandonar de vez as ilusões infantis. Ela precisa e deve ficar calma, jogando sementes pelo caminho para colher as próprias flores antes de receber o buquê oficial naquele dia que o tapete vermelho irá ser só seu e lá na frente estará o homem da sua vida com lágrimas de olhos ao vê-la toda de branco caminhando em sua direção.

via Tempo de Amor

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



1 COMENTÁRIO

  1. Me emocionei profundamente. Me emocionei do começo ao fim. Me vi nua, despida completamente, como se este texto tivesse sido feito sob encomenda para mim. E chorei. Chorei como se um balde de água gelada tivesse sido jogado na minha alma enganada e iludida. Obrigada por isso.

DEIXE UMA RESPOSTA