Como a gente faz para esquecer alguém?

Por Daniel Bovolento

João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém. É assim que Carlos Drummond de Andrade fala direta e simbolicamente sobre o velho rodeio da vida em que pessoas diferentes se encontram, se apaixonam, às vezes dá certo, às vezes não dá, e todos partem uma hora.

Comecei a me acostumar com a ideia da partida depois de ler um poema do Nei Duclós, que compartilhava dos sensíveis versos a seguir: “pessoa nenhuma é lugar de repouso”.

Continue a leitura em: Entre Todas as Coisas

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA