A vida aos 20 e poucos anos

Parece fácil ser jovem. A gente tem todo o futuro pela frente, mas ao mesmo tempo a fase boa de se viver sem preocupações começa a ter um fim. Você entende que está fechando um ciclo e começando outro quando começam as cobranças para o vestibular. Ah, o temível vestibular! Que curso eu quero fazer? O que eu quero mesmo ser quando crescer? Ops, já cresci e ninguém me avisou que aos 17/18 anos eu teria que decidir como seria o resto da minha vida.

Passar no vestibular! Que sensação maravilhosa. As conquistas e a liberdade estão só começando. Logo vem tirar a carteira de motorista e se formar. Enfim um diploma na mão e uma profissão para chamar de minha. É a aí acabou? Não, tá tudo só começando.

Com o diploma na mão e um currículo enxuto em baixo dos braços é hora de procurar um lugar ao sol no mercado de trabalho. Aí meu amigo, vem o choque de realidade. O salário é mais baixo do que você esperava, você trabalha mais horas do que gostaria e daria tudo para ter mais tempo para se divertir com os seus amigos.

É mais ou menos nessa época que a gente também começa a pensar em construir uma família ou no mínimo é quando a gente arruma uma pessoa especial ou começam a surgir relacionamentos mais sérios e mais duradouros.

É nesse momento que nós começamos a pensar em crescer na carreira, pagar suas próprias contas e se possível juntar uma grana, conquistar seus sonhos e conseguir ser alguém importante antes dos 30. É muita coisa para alguém que até ontem nem sabia o que fazer no vestibular… a vida era mais fácil antes dos 20 e poucos.

COMPARTILHAR
Nanda Andrade
Nanda Andrade não se desgruda dos livros. É extremamente apaixonada pela escrita, pela vida e pelo marido. Queria ter muitas vidas ao mesmo tempo para experimentar o máximo que pudesse de todas as possibilidades. No fim das contas seu coração egoísta quer guardar o mundo dentro de si.



DEIXE UMA RESPOSTA