Não importa “o que”, importa “quem” conquistamos.

“Quando somos amparados por quem nos ama de verdade, por quem conhece nosso melhor e nosso pior, por quem enfrentou o medo junto conosco e, apesar de tudo, jamais desistiu da gente, poderemos contar sempre, a qualquer hora, em qualquer lugar, com a esperança quebrilha frente aos nossos olhos e nos reacende os sonhos.”

Tudo o que nos move tem que ser apaixonante, tem que ter envolvimento completo, verdadeiro e inteiro, entrega suada e isenta de incertezas. Daí necessitarmos da paixão como combustível de vida, como alimento dos anseios de nossa alma, para que nossa jornada se torne, sobretudo, limpa e transparente, pois assim nossas lembranças guardarão momentos mágicos, que nos ajudarão a nos despedirmos tranquilamente das pessoas e do mundo que perpetuarão o nosso legado.

É preciso muito cuidado ao determinarmos os objetos de nossos desejos, principalmente no que diz respeito ao que eles efetivamente nos acrescentarão, ao que embasa nossa busca por determinadas coisas. Caso estejamos pautando nossos sonhos por razões meramente materialistas ou buscando montar um mundinho de aparências hipócritas, nada agregaremos à construção de uma felicidade completa, a qual deve ser nosso norte, em todos os momentos de nossas vidas.

Quando nos cercamos somente de perfumaria, o que temos a oferecer é algo por demais volátil e incapaz de sustentar verdades duradouras. Dessa forma, poderemos até enriquecer nossa conta bancária e inflar nossos álbuns virtuais, no entanto, permaneceremos tão incompletos quanto o que éramos desde o início. Objetos, bens e fachadas suntuosas são incapazes de enriquecer os anseios de nossa essência, pois ela não se preenche materialmente, mas sim com sentimentos verdadeiros.

Nossas conquistas devem ter o sabor da verdade, do contentamento íntimo que maximize nossos sentimentos positivamente, enriquecendo-nos de dentro para fora e nunca o contrário. Estarmos certos quanto à necessidade de nos aprimorarmos enquanto pessoas é imprescindível a que nos lancemos a uma busca ética e corajosa em direção a metas que nos cerquem também de gente que nos ama e acredita em tudo o que somos. Amor recíproco nos liberta e nos resgata sempre que necessário.

Devemos também estar certos quanto ao tipo de pessoa com quem caminharemos ao longo de nossos dias e noites, pois a verdade alheia será extremamente necessária na consecução de nossos objetivos e no direcionamento que daremos às várias escolhas que enfrentaremos. Estruturarmos cumplicidade junto a pessoas éticas e sinceras nos aliviará o peso de todas as dores que nos afligirão durante nossa lida, bem como nos permitirá compartilhar prazeres e conquistas com gente do bem – e isso faz uma diferença imensa, quando chegar a hora do desfrutar, do rememorar, do descansar e partir.

Estaremos constantemente cercados pelos apelos sedutores do glamour inerente ao êxito financeiro e toda felicidade material que ele parece oportunizar, através das roupas de grife, das viagens internacionais, carros importados e praias do Caribe. Logicamente, o conforto material é importante em nossa qualidade de vida, porém, nenhuma quantia em dinheiro será capaz de nos confortar quando atravessarmos as tempestades emocionais que permearão o nosso caminho.

Quando somos amparados por quem nos ama de verdade, por quem conhece nosso melhor e nosso pior, por quem enfrentou o medo junto conosco e, apesar de tudo, jamais desistiu da gente, poderemos contar sempre, a qualquer hora, em qualquer lugar, com a esperança que brilha frente aos nossos olhos e nos reacende os sonhos. Isso é amor verdadeiro. Isso é certeza de que sobreviveremos dignamente às nossas dores e desfrutaremos merecidamente o melhor que a vida sempre terá a nos oferecer.




DEIXE UMA RESPOSTA